Filmes

2012

Não tenho muito a falar deste filme, pois devido ao marketing feito, creio que  também foi record de bilheteria, pois foi produzido devido à descoberta de que o Calendário foi elaborado apenas até 2010, pois acreditavam que em 21/12/2012 o mundo iria acabar. Eu o assisti na época e agora novamente para lembrar-me de alguns pontos que desejo comentar.

O Filme consiste numa catástrofe apocalíptica de grandes proporções mas, quando detectada, já não havia mais tempo hábil para providenciar construção de naves submarinas suficientes para preservação de toda a humanidade. Aí instala-se o caos total, pois os passaportes são vendidos por bilhões de dólares já determinando, pelo poder aquisitivo, quem poderia se salvar e quem seriam fatalmente submersos pelas águas.

Durante os preparativos para que os chefes de estado e suas comitivas viajassem para a China, lugar onde foram construidas as naves submarinas. muitos desesperados se lembravam que os crentes já falavam há muito tempo desse apocalipse e que a Bíblia também relatava isso.

É um filme de ação e aventura, mas com cenas de verdadeiro terror quando os pobres se abraçam chorando e acabam sendo cobertos por prédios e escombros caindo sobre eles, grandes crateras se abrindo debaixo de seus pés e a água do mar invadindo todos os continentes.

Como produção cinematográfica, vale a pena assistir, pois é uma excelente reflexão quanto às diferenças existentes entre as classes sociais de todos os países. Num momento de desespero como esse, muito bem representado no filme, cada um busca salvar-se a si mesmo.

Já que o filme fala sobre fim de mundo, sobre relatos bíblicos e sobre o que os crentes estão sempre dizendo que o mundo vai acabar, desejo esclarecer de forma bastante suscinta e comprovando com alguns textos bíblicos, como será o fim do mundo, que nós cristãos, apregoamos.

“E eu (Deus falando) convosco estabeleço o meu concerto, que não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e não haver´mais dilúvio para destruir a terra. E disse Deus: este é o sinal do concerto que ponho entre mim e vós, e entre toda alma vivente, que está convosco, por gerações eternas. O meu arco tenho posto na nuven, este será por sinal do concerto entre mim e a terra. E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens, Então me lembrarei do meu concerto, que está entre mim e vós, e ainda toda alma vivente de toda carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio, para destruir toda a carne.” (Bíblia Sagrada – Gen. 9:11-16)

“E estando no Monte das Oliveiras, chegaram-se a Ele (Jesus) os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai e não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.” (Bíblia Sagrada Mt. 24: 3-7)

“Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos – assim será também a vinda do Filho do homem.” (Bíblia Sagrada Mt. 24:36-39)

“E quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E estando com os olhos fitos no céu, enquanto Ele (Jesus) subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco, os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.” (Bíblia Sagrada At. 1:9-11)

“Não quero porém irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem (os que já morreram), para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com Ele (Jesus). Dize-mo-vos, pois isto, pela palavra do Senhor: que nós os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido e com voz de arcanjo, e com trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” (Bíblia Sagrada I Ts. 4:13-17)

“E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. E disse-me mais: Está cumprido: Eu sou o alfa e o Ômega, o princípio e o  fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida. Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho. Mas quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicários, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” (Bíblia Sagrada, Ap. 21:1-8)

“Examinai tudo. Retende o bem”. (Bíblia Sagrada – ARC, I Tes. 5.21) – “Mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom” (Mesmo texto bíblico, na Versão NVI)

A Bíblia é o manual do nosso fabricante. Quem desejar manter seu corpo em harmonia e equilíbrio, leia diariamente sua Bíblia… pois com certeza deve ter uma em sua casa.

Sonia Valerio da Costa
10/07/2010
2012-2

Filmes

abussoladeouro

O Filme “A Bússola de Ouro” apresenta apenas a primeira parte da Saga, que foi escrita em três livros. É um filme de muita aventura, mistério, ficção e momentos de suspense que prendem a atenção. Lyra, uma criança corajosa e de muita ousadia, se vê envolvida como personagem principal, para desvendar o misterioso desaparecimento de  crianças.

Lord Asriel seu benfeitor, a protege colocando-a sob a inteira responsabilidade e vigilância do Reitor da Faculdade; em seguida parte para o Polo Norte, na terra dos ursos polares, com o objetivo de provar que sua teoria científica, é verdadeira.

Assim que ele viaja, o Magistério da Faculdade promove uma segunda expedição, liderada pela Sra. Coulter, que com palavras mansas consegue enganar Lyra, dizendo que, mesmo ela sendo uma criança, inspirava tanta confiança, que a participação dela nessa segunda expedição, seria de extrema importância para ambas.

Antes de partir o Reitor da Faculdade entrega ocultamente a Bússola de Ouro nas mãos de Lyra, deixando-a bastante prevenida e orientada para que ninguém soubesse que ela estava de posse daquele objeto, principalmente a Sra. Coulter. Através daquela bússola, que Lyra logo aprende como manejar,  ela vai recebendo direção para onde ir, o que deve fazer e como proceder diante das novas situações que vai vivenciando.

O filme foi muito bem elaborado, é encantador e vale a pena ser assistido. Com ele aprendi diversas lições de vida e aguardo ansiosa a produção cinematográfica dos outros dois livros: “A Faca Sutil” e “A Luneta Âmbar”. 

Fatos do enredo do filme que desejo comentar:

No universo onde a história se desenvolve, todas as pessoas têm o seu “dimon”, que é uma manifestação externa de sua própria alma, em forma de animal, cada um com uma personalidade distinta. Lord Asriel levanta a teoria de que nossa alma vem do espaço, em forma de poeira cósmica, passa pelo “dimon” e em seguida vai entrando na pessoa que o possui, formando sua personalidade, até que ela se torna adulta. O Magistério se opõe a essa teoria fantasiosa,  principalmente porque, se essa nova teoria fosse provada como verdade, abalaria todas as tradições e crenças sustentadas até então, comprometetendo séculos de ensino mantido pelas autoridades eclesiásticas e catedráticas.

Em determinada cena, antes de conseguirem desvincular Lyra de seu “dímon”, a Sra. Coulter esclarece Lyra de forma bastante convincente, que o objetivo do Magistério em separar as crianças de seus respectivos “dímons”, seria para que elas não tivessem mais o livre-arbítrio e pudessem ser totalmente controladas pelo magistério, cujo objetivo não era apenas dominar este mundo, mas também todos os outros mundos e universos paralelos existentes. Essa cena é bastante esclarecedora quanto ao que o “dímon” está representando; o “dímon” não é nada mais nada menos do que o livre-arbítrio e não uma extensão da alma da pessoa como afirmam alguns comentaristas. Creio que o livre-arbítrio foi representado dessa forma, para ficar mais transparente que existe sim, a possibilidade de roubarem nosso livre-arbítrio.

O que é o livre-arbítrio? Segundo Claudionor Corrêa de Andrade, em seu “Dicionário Teológico”, ele define que “live-arbítrio” [Do Latim “liberum arbitrium”] é o instinto que nos faculta escolher entre o bem e o mal. Do uso que fazemos deste instrumento, prestaremos contas ao Supremo Juiz no último dia. Sem o livre arbítrio, o homem jamais poderia firmar-se como criatura racional e moralmente livre”.

Em minha opinião, o Magistrado está representando o Mal, que é o próprio Satanás que, por ter sido o primeiro a desobedecer os mandamentos divinos, foi lançado fora da presença de Deus; inconformado com tudo o que perdeu, ele quer roubar nosso livre-arbítrio (dado por Deus), e nos fazer escravos dele (Satanás). Dessa forma ele nos usaria como “laranjas” para afrontar ao Deus Criador. Propositadamente estou utilizando esse termo bastante coloquial e conhecido em nossa sociedade, para deixar claro, que não levaremos vantagem nenhuma em sermos escravos de ninguém, muito menos de Satanás.

O livre-arbítrio consiste na liberdade que Deus nos dá em deixarmos de adorá-lo e de obedecê-lo, nos afastando totalmente dEle e nos submetermos a aceitar servir outros deuses, inclusive Satanás, sendo que nenhum outro deus possui os atributos da Onipotência, Onipresença e Onisciência, pois até o próprio Satanás foi criado por Deus. Deus nos deu inteligência e capacidade suficiente,  para em nosso são juízo, escolhermos permanecer nEle (Deus Criador).

A criatividade proposta no enredo é bastante polêmica, porém passível de discussão teológica, pois os primeiros seis dias ou períodos da criação, são registrados na Bíblia de uma forma  tão resumida, que possibilita a criação de diversas fantasias a respeito do que verdadeiramente aconteceu nesse “princípio”. Minha pretensão não é fazer apologia ao filme, mas despertar uma certa dose de curiosidade na busca do conhecimento.

Sabemos que os cientistas trabalham em cima de teorias que somente se tornam leis depois que forem comprovadas de todas as formas. O que sabemos através da Bíblia, é que nesse “princípio” os animais, que foram criados antes de Adão, viviam em harmonia com os seres humanos, tanto, que até conversavam com eles; como foi o caso da serpente que, usada por Satanás, propôs a Eva que comesse do fruto da árvore do Bem e do Mal.

Neste ponto crítico, quero levar o leitor a refletir, que se os animais não tivessem o costume de conversar com Adão e Eva, quando a serpente se aproximou de Eva e começou a conversar com ela, no mínimo Eva se assustaria e acabaria compartilhando com Adão aquele fato, caso ele tivesse sido inédito. É assustador raciocinarmos dessa forma, mas penso que é apenas uma questão de lógica.

A partir dessa atitude de desobediencia de comer do fruto proibido, foi havendo um distanciamento entre a comunicação do homem com os animais. Vale lembrar que Deus utilizou peles de animais para fazer vestimentas e cobrir a nudez de Adão e Eva que, agora conscientes do porque das diferenças físicas de ambos, se envergonhavam um do outro.

Adão e Eva foram convidados pelo próprio Deus a que se retirassem do Jardim do Eden, para não cairem na tentação de comer do fruto da Árvore da Vida e assim, viverem eternamente no pecado da desobediência.

Depois do dilúvio Deus orienta o ser humano a comer também, a carne dos animais, alem das frutas e vegetais produzidos pela terra lavrada, que era o seu alimento até então. Com essas considerações, é perfeitamente compreensível que em determinado momento da história, aconteceu uma ruptura de comunicação entre homens e animais.

Além do episódio acontecido no Jardim do Éden, o único registro bíblico de um animal conversando com o homem, foi quando Balaão estava desobedecendo a Deus e aceitando suborno para amaldiçoar o exército de Israel. Leia a seguir:

“Então o Senhor abriu a boca da jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste estas três vezes? e Balaão disse à jumenta (com a maior naturalidade): Porque zombaste de mim: oxalá tivera eu uma espada na mão, porque agora te mataria. E a jumenta disse a Balaão: Porventura não sou a tua jumenta, em que cavalgaste desde o tempo que eu fui tua até hoje? Costumei eu alguma vez fazer assim contigo? E ele respondeu: não. Então o Senhor abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do Senhor, que estava no caminho, e a sua espada desembainhada na mão: pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se sobre a sua face. Então o anjo do Senhor lhe disse: Por que já três vezes espancaste a tua jumenta? Eis que eu saí para ser teu adversário, porquanto o teu caminho é perverso diante de mim: Porém a jumenta me viu, e já três vezes se desviou de mim; se ela se não desviara de diante de mim, na verdade que eu agora te tivera matado, e a ela deixado com vida.” (Bíblia ARA, Nm. 22:28-33)

Como disse no princípio que os seis dias da criação foram relatados de forma tão reduzida que proporciona a existência de pensamentos fantasiosos. Na verdade, esse meu comentário é apenas para contextualizar a existência do assunto mais polêmico que existe, e que o ser humano tem dificuldades de aceitar, que é o livre-arbítrio.

Recomendo a todos para que assistam este filme e também meditem nestes textos bíblicos a seguir:

“Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.” (Biblia, trad. ARC, I Tm. 2:3-4)

“Da mesma forma como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do homem (Jesus Cristo) seja levantado (cruxificado), para que todo o que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por meio dEle (Jesus Cristo). Quem nEle crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Unigênito filho de Deus. Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, temendo que as suas obras sejam manifestas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, para que se veja claramente que as suas obras são realizadas por intermédio de Deus.” (Bíblia Sagrada, Jo. 3:14-21)

“Examinai tudo. Retende o bem”. (Bíblia Sagrada – ARC, I Tes. 5.21) – “Mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom” (Mesmo texto bíblico, na Versão NVI)

Sonia Valerio da Costa
10/07/2010

Filmes

avatar

Propositadamente resolvi assistir o filme somente agora, pois desejava emitir minha opinião pessoal sem interferências externas, nem da mídia nem dos “críticos” que tem o prazer de dissecar a produção, para encontrarem apenas falhas.

Assim é “Avatar”. Um dos filmes mais comentados e que gerou bastante polêmica, principalmente em “guetos sociais”, que por terem medo do desconhecido emitem opiniões precipitadas e deturpadas da realidade, e procuram embasar suas teorias na significação da origem dos termos utilizados nas produções cinematográficas. Com isso, acabam perdendo as mensagens importantes que o filme pode nos trazer para nossa reflexão filosófica e que podem proporcionar excelente bagagem para nosso conhecimento.

Achei a produção cinematográfica excelente e aprendi grandes lições com as mensagens transmitidas através do enredo proposto. Entendo que o termo “avatar” empregado como título do filme, não foi escolhido com base na origem hinduísta da palavra, mas pela forma como essa palavra foi popularizada devido aos jogos de computador, onde avatar é um personagem criado, para representar o jogador, que coloca nele, as características que deseja; o jogador dá ao seu avatar, capacidades e virtudes que ele mesmo não possui na vida real.

No filme cria-se em laboratório, diversos avatares, mas apenas Jake, um soldado que se tornou paraplégico na guerra, consegue por meios de uma nova tecnologia, tranferir sua mente para um corpo são (um avatar). Mentalmente, através do seu avatar ele consegue o “milagre” de viver de forma “normal”, num outro planeta – Pandora – onde vivem os Na’vi; é através da mente que ele consegue contato com esses habitantes. Em paralelo, sua aventura mental é registrada e monitorada em laboratório, por cientistas e governantes, com interesses bastante diversificados; as aventuras vivenciadas pelo avatar de Jake no planeta de Pandora, causam perplexidade para alguns dos cientistas que o observam, e desprezo e indignação em outros.

Não pretendo fazer sinopse do filme, mas sim despertar nos leitores, através deste comentário pessoal, o desejo de assistir esta espetacular produção cinematográfica.



O que aprendi com Avatar:

– Quando agimos em silêncio, o resultado de nossas ações passa a ser mais rápido, mais coerente, mais forte, mais acertado e o melhor, sempre pegamos o inimigo de surpresa. Entendo que é por isso que Deus age em silêncio; suas obras são perfeitas e falam por si mesmas. (Sl.10:1)

– Não se pode encher um corpo que já está cheio. Se nosso corpo estiver verdadeiramente cheio do Espírito Santo (Ef. 5:18b), não haverá espaço para as obras da carne, mas somente para produzirmos frutos do Espírito: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança). (Gal. 5:16-26)

– Para entendermos os significados de uma cultura social, precisamos imergir nela de corpo e alma. Jesus Cristo não veio como um avatar para conhecer apenas mentalmente as nossas dores e sofrimentos; Ele não possuiu um corpo humano, mas se fez 100% humano, para poder ter o direito de morrer em nosso lugar, tomando sobre si os nossos pecados. Jesus ressuscitou corporeamente, não num outro corpo, mas num corpo transformado e glorificado. Ele nos deixou o exemplo real de que, se simbolicamente “morrermos” com Ele, também teremos nosso corpo transformado e glorificado, o que nos dará o direito de morarmos eternamente com Ele. (Rom. 6:8)

– O homem sem Deus, se faz um semideus e acaba se autoglorificando de forma inconsequente. Nessa situação não consegue medir as consequências de seus próprios atos que são apenas carnais, ou seja: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizade, porfia, emulação, ira, peleja, dissensão, heresia, inveja, homicídio, bebedice, glutonaria, (Gal. 5:19-21), ganância, prepotência, orgulho, etc.

– Cada pessoa precisa nascer duas vezes. Uma pela vontade da carne e a outra pelo espírito. É isto que significa o livre arbítrio que Deus nos dá, de nascermos novamente pelo Espírito de Deus ou pelo espírito do Anticristo. Nosso segundo nascimento que é feito por nossa livre e espontânea vontade, é que vai determinar o lugar onde passaremos a eternidade. (Jo. 1:12-13 e 3:3-7)

Meus elogios para James Cameron por essa espetacular e impressionante produção, tanto em conteúdo, quanto em efeitos especiais.

Você também vai gostar  do comentário do Pr. Ricardo Padilha.

O vídeo a seguir foi contribuição do amigo Jaime, que fez um comentário valioso para esta minha opinião sobre “Avatar”.

“Examinai tudo. Retende o bem”. (Bíblia Sagrada – ARC, I Tes. 5.21) – “Mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom” (Mesmo texto bíblico, na Versão NVI)

Este comentário está baseado em:
O próprio Filme Avatar.
Internet.
Ekström, Leif. Avatar. In: Jornal Luz nas Trevas, jun de 2010, p. 4.
Bíblia Sagrada nas versões ARC e NVI.
Sonia Valerio da Costa
04/07/2010
 avatar2