Variedades

casadamaejoana

Onde todos têm vontade, dominio, liberdade. Podem entrar, dispor, mandar. Confusão, balbúrdia, desorganização.

Joana, rainha de Nápoles e condessa da Provença, (1326-1382), em sua tumultuosa existência, refugiou-se em Avignon, (1346). No ano seguinte regulamentou os bordéis da cidade. Um dos artigos estatutais dizia: – et que siegs une porto… dou todas las gentes entraron. “Tenha uma porta por onde todos entrarão”.

Ficou sendo o prostíbulo o Paço da Mãe Joana, e assim o nome divulgou-se em Portugal.Teófilo Braga, (O Povo Português, II, Lisboa, 1885), informa: – “Paço da Mãe Joana” com que se designa a casa que está aberta para toda a gente. Nos Açores é muito usual dizer que uma porta escancarada, é como o Paço da Mãe Joana!

No Brasil, Paço não é vocábulo popular, por isso tornou-se Casa. Esta é a origem da locução “Casa da Mãe Joana”. Hoje em dia essa expressão não é mais usada de forma pejorativa mas, em qualquer situação onde não exista   organização, respeito, ética e principalmente ordem administrativa.

Fonte: Locuções Tradicionais no Brasil, de Luis da Câmara Cascudo.
Postado por: Sonia Valerio da Costa
Em: 26/09/2020

Variedades

(Imagens Google)

Esta é uma conhecida frase, tradicionalmente brasileira. Significa viver perigosamente, atravessar momento angustioso, difícil, melindroso. Quando o povo diz “papos”, está literalmente se referindo a estômago, barriga, saco digestivo, isto porque a aranha é insaciável. Nunca rejeita presa. esse apetite é normal, pois nunca estão com fastio.

“Estar em papos de aranha” é situação de encontrar-se semidevorado, condenado a tornar-se alimento. A tradição famélica da aranha é suficiente formadora da imagem ameaçadora e voraz.

Entenderá melhor essa expressão, quem se encontrar “em papos de aranha”.

Fonte: “Locuções Tradicionais no Brasil” de Luís da Câmara Cascudo.

Por: Sonia Valerio da Costa
Em: 22/09/2010