Livros

beijo

Ler este livro do Pr. Ubirajara Crespo foi uma oportunidade gratificante, pois pude aprender muita coisa sobre as táticas sutis que nosso adversário utiliza para nos bloquear, nos distrair e finalmente nos nocautear em nossa caminhada espiritual.

O Pr. Ubirajara fala com muita propriedade a respeito da existência atual de uma religiosidade que se apresenta como “cordeiro por fora e serpente por dentro”.

Mas porque esse título: “O Beijo sedutor… (e) …. da Serpente”? Desde o momento que começamos a ler esse livro, já vamos entendendo o significado do seu título; o texto mostra que nosso adversário, a serpente, se utiliza da sedução espiritual para nos “beijar”, e assim, acabamos sendo vencidos por esse flerte continuo que, no inicio parece algo inocente, fora de perigo; mas quando menos percebemos já estamos enredados e com dificuldades de nos desvencilharmos de tais artimanhas.

Este livro nos alerta para tomarmos cuidado com líderes que não se misturam com suas ovelhas, pois essa distância é proposital para que não conheçamos sua verdadeira identidade. De longe, vemos as pessoas como exemplos a serem seguidos; porém muitos desses que se apresentam como “santos”, se valem da manutenção dessa distância, para que seu rebanho não venha a decepcionar-se com suas obras infrutuosas.

“Lúcifer não se preocupa tanto com a pregação do Evangelho, quanto com o caráter de quem o prega”.

Quando olhamos de longe uma árvore frondosa, ficamos imaginando que seus frutos são maravilhosos. Somente poderemos constatar a existência ou não de frutos, se chegarmos perto  e procurarmos entre as folhas.

A “serpente” está assediando líderes religiosos, principalmente os  que já alcançaram fama, para através de um beijo sedutor, conseguir acordos escusos, sem fundamento na Palavra de Deus e, assim, comprometer ministérios que já foram ícones de exemplo de piedade.

A trilogia “poder, fama e dinheiro”, desde sempre foi uma forte sedução utilizada pela serpente para enganar o homem; o adversário sabe que “você e eu, temos em nossa engenharia genética um potencial de traição”. “Esse trio demoníaco é poderoso demais para que possamos enfrentá-lo. O melhor é rejeitar suas ofertas”.

“Nada como conhecer as escrituras para desembainhar a Espada do Espírito na hora certa e do jeito mais correto”.

Do começo ao fim, este livro nos prende a tenção, pois contém orientações inspiradas na Palavra de Deus, para que possamos nos valer delas e sairmos vencedores, quando formos assediados por esses beijos sedutores, cujo final é a perdição eterna.

Alguns tipos de beijos sedutores, apresentados no livro: beijo da urgência, dos excitantes prazeres, que paraliza a mente, das ilusões, da tietagem, da discriminação, dos princípios negociáveis, da falsa hermenêutica, do ano novo, do medo e da omissão, da Babilônia, da metamorfose e, nas páginas das conclusões, o autor fala sobre as consequências desses beijos, principalmente quando eles azedam.

Creio que não será preciso dizer que recomendo com todas as letras, a leitura desse livro. Tanto seu conteúdo, quanto a forma como foi escrito, são inéditos no meio evangélico. É um livro que mexe com estruturas religiosas que já estão apodrecidas e também com nossa estrutura espiritual em particular.

Concluo, agradecendo ao Pr. Ubirajara, por ter tido a coragem de compartilhar conosco, esta verdadeira revelação, de como devemos professar um autêntico culto de adoração ao nosso Deus.

Por Sonia Valerio da Costa

Em 17/01/2011
Veja comentários de outros livros em: Índice de Outros Livros

barrabênçao

Livros

acabana

 

A cada dia que passa compreendo melhor a questão de que um livro, seja ele qual for, precisa chegar na hora certa em nossas mãos; assim o leremos  com maior prazer e com o coração aberto, para assimilarmos tudo o que ele tiver de bom para nos oferecer.

“A Cabana” chegou em minhas mãos numa hora muito especial, principalmente porque havia acabado de ler “10 Mentiras que as Igrejas Contam às Mulheres”. De certa forma eu já me encontrava com minha mente mais maleável para receber novas e inéditas informações, com respeito ao relacionamento que Deus espera de nós, seus filhos.

Quero destacar parte de dois comentários impressos no livro “A Cabana”.

“Este livro tem o potencial de fazer por nossa geração o que “O Peregrino”, de John Bunyan, fez pela dele.” (Eugene Peterson, professor emérito de Teologia Espiritual, Regent College, Vancouver, Canadá)

“A Cabana consegue falar de alguns dos maiores mistérios sobre Deus: como o amor incondicional do Pai, caminha entre a proteção aos filhos e o respeito a seu livre-arbitrio.” (William Douglas, juiz federal, professor universitário e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil)

O escritor William P. Young escreve de forma espetacular a experiência vivenciada por Mackenzie Allen Phillips.  Mack, como ele é mais conhecido, vivencia uma tragédia, que marca para sempre, tanto a sua, quanto a vida de sua família; durante uma viagem programada para ser apenas diversão e alegria, Missy, sua filha mais nova, desaparece misteriosamente.

Após longas investigações, descobrem que ela teria sido assassinada, devido a indícios encontrados numa velha cabana abandonada. A partir de então, ele se entrega a uma Grande Tristeza que acaba sufocando-o a cada dia, pois esse sentimento que passou a sufocá-lo, era a expressão da ausência e da raiva incontida, por não terem conseguido localizar o assassino, que ficou impune por seu ato hediondo.

Após quatro anos, Mack recebe um bilhete, assinado por Deus, convidando-o para um encontro na cabana abandonada. Apesar das dúvidas quanto às circunstâncias que envolviam aquele convite, Mack decide voltar ao cenário de seu pesadelo.

Ao chegar lá, se dá conta que Deus, Jesus e o Espírito Santo estão à sua espera para um “acerto de contas”. Essa experiência vivenciada por Mack e registrada literariamente de uma forma espetacular, pelo escritor, fazem do livro “A Cabana”, uma historia inédita e imperdível para todos nós, criaturas de Deus e que, Ele mesmo, nos elevou à categoria de filhos… “seus filhos”.

Depois de ler esse livro, com certeza, sua vida não será mais a mesma. Todos nós temos inquietações a respeito da nossa vida e, principalmente da morte; a curiosidade de conhecermos melhor a personalidade divina, também é algo que nos impulsiona a buscarmos respostas.

Creio que cada leitor se identificará com determinadas circunstâncias vivenciadas por Mack, durante seu diálogo com cada uma das três pessoas da Trindade. O importante é lembrarmos que para cada tipo de pergunta, existe uma resposta correspondente. Para cada tipo de problema, uma solução diferente. Finalmente, para cada circunstância, uma razão e uma explicação específica, conforme o tempo e a hora.

Um dos grandes mistérios que o leitor irá desvendar é a forma como esse encontro aconteceu, se foi real, se foi sonho, se foi arrebatamento ou revelação. A questão é que o relato como tudo aconteceu, tem respaldo bíblico.

Eu, particularmente, não definiria esse livro como ficção, mas como um livro teofilosófico, pois quem já possuir conhecimentos bíblicos, poderá, com certeza, absorver mais facilmente seu conteúdo! Apesar desse apontamento, todos os leitores entenderão o suficiente do caráter divino, para amá-lo e ser também amado por Ele.

Se você se sentiu tocado pelo assombro deste livro e quer ajudar a torná-lo disponível a outros num nível mais amplo, nós o convidamos a participar do…

Projeto Missy

ou em inglês:

The Missy Project

Recomendo também a leitura do livro “Deus e a Cabana“, de Roger E. Olson.

Comentado por
Sonia Valerio da Costa
Em 03/01/2011

Veja comentários de outros livros em: Índice de Outros Livros