Livros

Os tipos de gigantes que são apresentados neste livro nos afrontam diariamente e lutam para interceptar nossa caminhada, tanto física, quanto emocional, profissional e social, mas principalmente na área espiritual.

O autor fala com muita propriedade e se utiliza de uma linguagem clara, ilustrada com exemplos bastante familiares do nosso cotidiano.

Os títulos dos capítulos já falam por si só; conheça um pouco do conteúdo riquíssimo desta obra exemplar. Vejamos:

  1. Combatendo seus medos –  O medo ignora o plano de Deus, distorce Seus propósitos, desestimula o povo de Deus, se recusa a crer nas promessas divinas e desobedece os princípios de Deus. Continue lendo e saiba como combater o gigante do medo que, segundo o autor, é o mais mortal dos inimigos.
  2. Destruindo o desânimo – O desânimo nos faz perder a esperança, mas para o destruirmos, precisamos reconhecê-lo e reagir a ele clamando a Deus em primeiro lugar e não como último recurso.
  3. Libertando-se da solidão – Podemos nos sentir solitários, mesmo não estando sós. O autor dá exemplos bíblicos de solidão na Bíblia (Rei Davi, Profeta Jeremias, Apóstolo Paulo), e como eles reagiram a essa situação. O autor também nos apresenta atitudes bastante práticas para vencermos a solidão.
  4. Vencendo a preocupação – A preocupação é incongruente, irracional, ineficaz, ilógica e irreligiosa. Podemos vencer esse gigante, definindo prioridades, estabelecendo um programa estratégico. O autor cita uma frase de Corrie Ten Boom, autora do livro “O Refugio Secreto”: “A preocupação é um homem velho, com a cabeça encurvada, carregando um saco de penas, pensando que é pedra pesada”.
  5. Protegendo-se da culpa – A culpa nos causa agonia e nos acusa, mas para nos livrarmos desse gigante, o melhor a fazer, é confessarmos diante de Deus, assumirmos total responsabilidade pelo pecado, que apenas Deus, através de Jesus pode nos redimir, nos purificar, restaurar nossa alegria e renovar nossa comunhão com Ele.
  6. Domando a tentação – A experiência da tentação é comum a todos, pois esse é o trabalho do diabo, nos fazer pensar que já estamos derrotados mesmo antes de cedermos a ela.  À luz da Palavra de Deus, o autor nos garante que podemos escapar da tentação, quando nutrimos uma comunhão íntima e diária com Deus.
  7. Atacando a ira – Conheça a ira bíblica que é não-pecaminosa e renuncie à ira que é pecaminosa. Não alimente a ira, não ensaie a ira, não converse sobre sua ira, não extravase a ira, reverta sua ira e coloque um ponto final, invertendo-a e entregando-a a Deus.
  8. Opondo-se ao ressentimento – O ressentimento é a ira multiplicada pelo tempo. Na Bíblia vemos o ressentimento expressado também, através das palavras ‘rancor'(I Co. 13.5) e ‘raiz de amargura'(Hb. 12.15).  O ressentimento tem um preço; disse alguém que guardar ressentimento é tomar veneno e esperar que o outro morra. Nós podemos e precisamos resistir ao ressentimento. Leia este capítulo e veja os cincos passos práticos que o autor nos apresenta.
  9. Desarmando suas dúvidas – Todos nós já passamos por situações de dúvida e a diferença é como lidamos com elas. “A dúvida não é o oposto da fé, mas sim a oportunidade da fé. O verdadeiro inimigo da fé é a incredulidade, que se recusa a reconhecer. Podemos dizer que a dúvida faz perguntas;  a incredulidade se recusa a ouvir respostas.” Veja como o autor fala com propriedade, como é a melhor maneira de lidar com a dúvida.
  10. Evitando a procrastinação – A procrastinação rouba o nosso tempo e nossas oportunidades de servir e de ter êxito e também rouba nossa oportunidade de salvação. Saiba como vencer esse gigante que ronda todo ser humano.
  11. Encarando o fracasso – Combatemos esse gigante, quando reconhecemos nosso fracasso, e aplicamos as lições aprendidas para obtermos êxito em nosso novo empreendimento. Devemos aceitar o fracasso como um fato em nossa vida e não como um modo de vida. É importante que sempre nos levantemos dos fracassos e recomecemos como um ser humano mais forte e mais sábio.
  12. Passando por cima da inveja – A inveja é muito próxima do ciúme; enquanto a inveja é o desejo de ter o que os outros possuem, o ciúme é o medo de perder o que se tem. Ambos sentimentos são destrutivos. Destrói os outros, e a nós mesmos também. O autor nos orienta que devemos encará-los como pecado e nos orienta como derrotarmos mais esses gigantes que querem nos roubar, nos aprisionar e nos destruir.

Esses sentimentos são verdadeiros gigantes que precisam ser domados por nós. O autor nos leva a entender à luz da Palavra de Deus,  como isso pode ser feito com a ajuda do Espírito Santo no nosso dia-a-dia, e assim obtermos sucesso e vitória.

Recomendo a leitura deste livro, pois com certeza, ele vai enriquecer sua vida espiritual e te fortalecer nessa constante guerra que vivenciamos combatendo esses sentimentos que, apesar de parecerem gigantes, com a ajuda do Espírito Santo, eles podem ser  domados sim, e então “poderemos vencer as batalhas e conquistar a vitória”.

Veja comentários de outros livros em: Índice de Outros Livros

Por Sonia Valerio da Costa

Em 28/04/2017