Filmes

Avatar (Filme)

avatar

Propositadamente resolvi assistir o filme somente agora, pois desejava emitir minha opinião pessoal sem interferências externas, nem da mídia nem dos “críticos” que tem o prazer de dissecar a produção, para encontrarem apenas falhas.

Assim é “Avatar”. Um dos filmes mais comentados e que gerou bastante polêmica, principalmente em “guetos sociais”, que por terem medo do desconhecido emitem opiniões precipitadas e deturpadas da realidade, e procuram embasar suas teorias na significação da origem dos termos utilizados nas produções cinematográficas. Com isso, acabam perdendo as mensagens importantes que o filme pode nos trazer para nossa reflexão filosófica e que podem proporcionar excelente bagagem para nosso conhecimento.

Achei a produção cinematográfica excelente e aprendi grandes lições com as mensagens transmitidas através do enredo proposto. Entendo que o termo “avatar” empregado como título do filme, não foi escolhido com base na origem hinduísta da palavra, mas pela forma como essa palavra foi popularizada devido aos jogos de computador, onde avatar é um personagem criado, para representar o jogador, que coloca nele, as características que deseja; o jogador dá ao seu avatar, capacidades e virtudes que ele mesmo não possui na vida real.

No filme cria-se em laboratório, diversos avatares, mas apenas Jake, um soldado que se tornou paraplégico na guerra, consegue por meios de uma nova tecnologia, tranferir sua mente para um corpo são (um avatar). Mentalmente, através do seu avatar ele consegue o “milagre” de viver de forma “normal”, num outro planeta – Pandora – onde vivem os Na’vi; é através da mente que ele consegue contato com esses habitantes. Em paralelo, sua aventura mental é registrada e monitorada em laboratório, por cientistas e governantes, com interesses bastante diversificados; as aventuras vivenciadas pelo avatar de Jake no planeta de Pandora, causam perplexidade para alguns dos cientistas que o observam, e desprezo e indignação em outros.

Não pretendo fazer sinopse do filme, mas sim despertar nos leitores, através deste comentário pessoal, o desejo de assistir esta espetacular produção cinematográfica.



O que aprendi com Avatar:

– Quando agimos em silêncio, o resultado de nossas ações passa a ser mais rápido, mais coerente, mais forte, mais acertado e o melhor, sempre pegamos o inimigo de surpresa. Entendo que é por isso que Deus age em silêncio; suas obras são perfeitas e falam por si mesmas. (Sl.10:1)

– Não se pode encher um corpo que já está cheio. Se nosso corpo estiver verdadeiramente cheio do Espírito Santo (Ef. 5:18b), não haverá espaço para as obras da carne, mas somente para produzirmos frutos do Espírito: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança). (Gal. 5:16-26)

– Para entendermos os significados de uma cultura social, precisamos imergir nela de corpo e alma. Jesus Cristo não veio como um avatar para conhecer apenas mentalmente as nossas dores e sofrimentos; Ele não possuiu um corpo humano, mas se fez 100% humano, para poder ter o direito de morrer em nosso lugar, tomando sobre si os nossos pecados. Jesus ressuscitou corporeamente, não num outro corpo, mas num corpo transformado e glorificado. Ele nos deixou o exemplo real de que, se simbolicamente “morrermos” com Ele, também teremos nosso corpo transformado e glorificado, o que nos dará o direito de morarmos eternamente com Ele. (Rom. 6:8)

– O homem sem Deus, se faz um semideus e acaba se autoglorificando de forma inconsequente. Nessa situação não consegue medir as consequências de seus próprios atos que são apenas carnais, ou seja: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizade, porfia, emulação, ira, peleja, dissensão, heresia, inveja, homicídio, bebedice, glutonaria, (Gal. 5:19-21), ganância, prepotência, orgulho, etc.

– Cada pessoa precisa nascer duas vezes. Uma pela vontade da carne e a outra pelo espírito. É isto que significa o livre arbítrio que Deus nos dá, de nascermos novamente pelo Espírito de Deus ou pelo espírito do Anticristo. Nosso segundo nascimento que é feito por nossa livre e espontânea vontade, é que vai determinar o lugar onde passaremos a eternidade. (Jo. 1:12-13 e 3:3-7)

Meus elogios para James Cameron por essa espetacular e impressionante produção, tanto em conteúdo, quanto em efeitos especiais.

Você também vai gostar  do comentário do Pr. Ricardo Padilha.

O vídeo a seguir foi contribuição do amigo Jaime, que fez um comentário valioso para esta minha opinião sobre “Avatar”.

“Examinai tudo. Retende o bem”. (Bíblia Sagrada – ARC, I Tes. 5.21) – “Mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom” (Mesmo texto bíblico, na Versão NVI)

Este comentário está baseado em:
O próprio Filme Avatar.
Internet.
Ekström, Leif. Avatar. In: Jornal Luz nas Trevas, jun de 2010, p. 4.
Bíblia Sagrada nas versões ARC e NVI.
Sonia Valerio da Costa
04/07/2010
 avatar2
 

10 Comments

  1. Sonia, Parabéns pelo texto. Para mim, AVATAR não é nada mais nada menos, do que a história da conquista do Oeste Americano recontada pela mente do Diretor James Cameron. Quem eram os índios massacrados na vida real no século XV e posteriores da nossa era? Os nativos de Pandora; Quem era a força militar? Os híbridos humanos, e o exército americano, o mesmo que dizimou as raças indígenas, com febre amarela, bebida, e toda sorte dos vícios do homem branco, inclusive sua falta de caráter, acabando com a sua religião, e a conexão com a Mãe Terra. AVATAR e PANDORA, não é ficção não. É uma representação da vida moderna, diga-se de passagem, ocorrendo “além mar” sem que saibamos ao certo ou mais ou menos. Me digam se isto aqui não é AVATAR:
    http://www.youtube.com/watch?v=JFOmnAjk1EQ
    Abração

    Reply
    1. Sonia Costa

      Olá Jaime,
      Eu é que parabenizo a você por esse comentário tão valioso, que vem acresentar mais munição aos meus pensamentos, quando digo que ninguém é dono da verdade. Cada pessoa enxerga determinada situação baseada nas experiências vivenciadas. Quando vamos adquirindo mais experiência de vida, vamos conseguindo ampliar nossa visão de tal forma, que não enxergamos mais somente em 3D, mas temos uma visão multifacetada de um acontecimento.
      Isto que estou dizendo agora, é comprovadamente científico, quanto ao que nossos olhos enxergam, o que eles leem, o que interpretam e também o que absorvem para o cérebro e para o comportamento da pessoa que lê. Você pode conferir melhor sobre esse tema, no capítulo 7 “Compartilhando conhecimento”, deste meu livro virtual.
      Além de ter aprovado o link do vídeo do youtube no seu comentário, vou colocá-lo no post também, dizendo que foi sua contribuição.
      Muito obrigada por esse seu comentário e que você tenha uma ótima semana!
      Abraços.
      Sonia costa

      Reply
    1. Sonia Costa

      Olá Cecília,
      agradeço sua visita ao meu Blog e também por deixar um comentário com palavras de incentivo ao texto que escrevi.
      Obrigada e boa semana para você.
      Abraços.
      Sonia costa

      Reply
  2. Silvio Hirota

    Sônia, gostei da sua abordagem sobre o filme, uma vez que também o ví, e pude tirar lições importantes! Não podemos ser extremados, a ponto de vermos inutilidade em todos os filmes que tem excelentes “efeitos especiais”! Avatar, mostra-nos que há diversas possibilidades, quando a pessoa acredita e procura atingir os seus objetivos de todas as formas lícitas possíveis! Portanto minha amiga, parabéns, mais uma vez! Você foi muito feliz na sua abordagem!

    Reply
    1. Sonia Costa

      A Paz, Pr. Silvio,
      agradeço seu comentário, pois para mim é sempre uma honra receber sua visita em meu Blog, pois alem de poder contar com seu apoio, sei que posso contar também com suas orações, para que Deus confirme este trabalho que estou desenvolvendo.
      Saudações em Cristo!

      Reply
  3. Querida irmã Sonia, uma das coisas que aprecio é cristianismo adulto, e teus artigos tem este atributo. Nada é menos interessante que a fragilidade de alguém que não tem argumentos para expor suas próprias convicções, coisa que , absolutamente não é o seu caso pois sempre demonstrou que seu “ser cristã” é uma opção de batismo consciente. Este artigo realmente está muito bom. Gostaria que muitos de nossos irmãos ( inclusive aqueles que tem nível superior em teologia e religião) escrevessem assim : coisas uteis, imparciais e sem perder a oportunidade de levar Jesus às pessoas

    Reply
    1. Sonia Costa

      Irmão Ricardo,
      fico emocionada com suas palavras, mas toda honra e glória sejam dadas ao Nosso Pai Celestial.
      Creio que quando abrimos nosso entendimento para que Deus nos revele seus mistérios, Ele sente prazer em fazê-lo. Gosto sempre de fazer uma leitura crítica, baseada no conhecimento teológico, filosófico e científico, tanto dos livros que leio, quanto dos filmes polêmicos que assisto.
      Paralelamente, quando escrevo, o faço sempre à luz da Palavra de Deus, pois não podemos abrir mão da mente de Cristo atuando em nosso cérebro.
      Deus abençoe sua vida para continuar usando-o dessa mesma forma, com esse dom especial de compreender as coisas do Altíssimo.
      Saudações fraternais.

      Reply
    1. Sonia Costa

      Irmão Ricardo, A Paz!
      Li e agradeço seu comentário; por conter um novo olhar, resolvi inserí-lo vou inserí-lo como complemento do meu Post.
      Boa semana.

      Reply

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *