Filmes

“Feche os olhos mas deixe a mente bem aberta.” Jess é um garoto sonhador e sem amigos, até conhecer Leslie Burhe. Ela desperta nele um mundo completamente diferente, e juntos, criam o secreto Reino de Terabítia. Lá terão que enfrentar criaturas fantásticas provando que nada é impossivel. Prepare-se para encontrar mais do que você jamais imaginou nessa emocionante aventura. (sinopse da capa do filme)

Minha opinião: Jess Aarons vivia seus sonhos e aventuras, apenas através de seus desenhos, pois se sentia discriminado no meio de sua própria família. Seus pais o tratavam como um adulto, enquanto que suas irmãs eram tratadas com todo carinho, amor e mimo.

Ele acaba se identificando com uma nova colega de classe, Leslie Burke, que por coincidência, descobre que também é sua nova vizinha de residência. Sua curiosidade em conhecê-la, é despertada quando numa das aulas ela expressa que não poderia assistir o Programa indicado pela professora, pois não tinha televisão; questionada pelos colegas, afirma que essa era uma decisão de seu pai, que dizia que “assistir televisão queima os neurônios”.

Um dia quando Jess e Leslie voltam da escola, decidem conhecer um bosque, localizado do outro lado de um pequeno riacho, que passa nos fundos de suas residências. Acabam considerando aquele lugar, como um segredo para suas fantasias existenciais e o nomeiam como “Terabitia”; passam a frequentar diariamente a quele lugar, como se fosse um mundo imaginário.

A trama da historia mostra claramente a importância de permitir que as crianças vivam suas fantasias, pois é através delas que aprendem a lidar com seus medos, fracassos, desânimos e frustrações e, paulatinamente vão aprendendo a vencer os obstáculos enfrentados constantemente durante nossa vida.

A criança que lê contos de fadas tem maior facilidade de assimilar as histórias bíblicas e desenvolvem a fé de uma forma mais efetiva. Vale a pena assistir o filme, ou ler o livro do mesmo nome, pois demonstra isso na prática. Leslie não era cristã; um dia convidada por Jess, aceita o convite de muito bom grado e, na Igreja, tem um encontro com Deus, enquanto que a familia de Jess, mesmo sendo cristãos, ainda não tinham tido um encontro marcante com Deus; o comportamento da familia demonstra isso claramente.

O que aprendi: Deus não está confinado a quatro paredes de nenhuma denominação eclesiástica; Ele se manifesta através das nossas vidas, quando abrimos nosso coração para Ele. Ouça o hino “Rude Cruz” que é cantado na Igreja, no dia em que Leslie vai pela primeira vez:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=TkfguDqD89c&fs=1&hl=pt_BR]

Sonia Valerio da Costa
Em 22/08/2010

Filmes

 

Paixão3

“Dificilmente um filme é capaz de provocar emoções tão fortes como este…”

“Dirigida por Mel Gibson vencedor do Oscar em 1995, como melhor diretor em “Coração Valente”, esta é uma história de profunda coragem e scrifício que nos conta as últimas 12 horas da vida de Jesus Cristo.” (comentário de Mariane Morisawa em IstoÉ Gente)

“Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moido pelas nossas iniquidades: o castigo que nos trás a paz, estava sobre Ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Is. 53:5)

Este filme relata a vida de Jesus Cristo a partir do momento em que Ele sobe ao Monte do Getsêmane para orar. Sabendo que havia chegado o momento de sua cruxificação, Jesus pede aos seus discípulos que vigiem e orem, mas, sonolentos como estavam, não entenderam o que estava acontecendo. Não tinham conhecimento do propósito e nem do significado das palavras do Mestre, quando ordenou-lhes que vigiassem e orassem e por isso acabaram adormecendo.

Jesus estava em profunda agonia, pois foi naquele momento que Ele se esvaziou de si mesmo, para se entregar expontaneamente ao propósito de Deus Pai, deixando-se cruxificar, para que todo seu sangue fosse derramado e pudesse trazer perdão para a raça humana. Foi naquele momento que  Jesus venceu a todas as propostas mentirosas de Satanás e esmagou a “cabeça da serpente”; este seu ato estava simbolizando Sua vitória sobre o pecado original da desobediência. Se entregou à vontade do Pai (Deus), dizendo: “Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia não seja feita a minha, mas a tua vontade.” (Mt.26:39b)

Entendo que alí, teve início o processo de sua cruxificação. A partir de então, são apresentadas cenas onde Jesus vai curando e também salvando.

O reimplante da orelha de Malco o deixa atônito e se separa do grupo de soldados; isto significa que, além da cura, ele também recebeu a salvação de sua alma.

O filme é verdadeiramente tocante, pois quando vemos as imagens do que provavelmente teria sido o processo de cruxificação de Jesus, entendemos claramente que Jesus não foi apenas mais um profeta qualquer; Ele é o Cristo, Filho de Deus. Impossível não imaginar que as ruas de Jerusalém foram totalmente salpicadas pelo sangue inocente derramado gota a gota para que pudéssemos ser perdoados do pecado original e termos novamente acesso ao Pai.

Enquanto Jesus carrega sua cruz no caminho do Gólgota, o filme vai retratando os possíveis pensamentos que passavam na mente de Jesus Cristo. Quando olhava os pés dos seus algozes, se lembrava de quando lavara os pés de seus discípulos. Quando pediu água e lhe deram vinagre, se lembrou que havia se apresentado como “águas vivas” para a mulher samaritana, junto ao poço de Jacó.

Em sua vida aqui na terra Jesus cumpriu todos os propósitos de Deus e tornou realidade, cada palavra profetizada a respeito do Messias, que os judeus esperavam. Impossível assistir esse filme e continuar sendo a mesma pessoa!

Não há maior amor do que esse de dar sua própria pelos seus amigos e também pelos seus inimigos. Isto foi o que Jesus Cristo fez durante todo o seu ministério, até render seu espírito e entregá-lo ao Pai.

Palavras de Jesus durante sua cruxificação:

“Mulher, eis aí o teu filho. Eis aí tua mãe.” (para Maria, sua mãe) – (Jo 19:27-27)

“Tenho sede.” (ao invés de água, deram-lhe vinagre, para que a escritura se cumprisse) – (Jo. 19: 28)

“Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem.” (quando repartiam e lançavam sortes sobre suas vestes) – (Lc.23:34)

“Hoje mesmo estarás comigo no paraíso.” (para um dos ladrões que estava também sendo cruxificado) – (Lc. 23:43)

“Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?” (quando houve trevas sobre a terra) – (Mc. 15:33-34)

“Está consumado.” (após ter recebido vinagre pela segunda vez) – (Jo.19:30)

“Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.” (na hora nona, quando o véu do templo se rasgou de alto abaixo) – (Lc. 23:46)

Este filme é uma excelente produção cinematográfica! Recomendo!

Por Sonia Valerio da Costa
Em 02/08/2010
paixnao5

Filmes

areias do tempo 2

“Um tesouro, um antigo mistério, um segredo a ser revelado…”

Meu comentário sobre o filme:

O filme inicia com um texto bíblico que tem gerado bastante polêmica entre teólogos, religiosos e estudantes da Bíblia. O enredo procura também de certa forma, dar uma explicação para para tal acontecimento registrado na Biblia Sagrada: “Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens, e delas geraram filhos: estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama”. (Bíblia ARA, Gn. 6:4)

Nem sempre somos soberanos em nossas escolhas. Quando queremos desvendar um segredo milenar, ou entrar numa área do conhecimento, à qual ainda não estamos  preparados para absorvê-la, precisamos caminhar devagar, para que não venhamos a ficar “cegos”, céticos ou mesmo enlouquecermos.

Todo conhecimento deve ser compartilhado, como forma de se evitar guerras, pois elas são sempre provocadas com o objetivo de se descobrir um segredo; não para divulgá-lo, mas para tomar posse dele. As guerras são sempre provocadas pela ganância do homem subjugar seu semelhante, através do poder financeiro ou científico, detendo o conhecimento para si. Quem sabe mais, tem como manipular os que sabem menos.

O filme baseia-se na busca de uma “Torre”,  que uma lenda milenar afirma existir num lugar desconhecido do deserto. Essa torre pode ser comparada com a “Torre de Babel” (Gn. 11:4-6). No filme, essa “Torre”, cobiçada por diversos homens, é protegida por uma porta que só pode ser aberta com um pingente, que, numa peleja, acaba se partindo em dois pedaços e cada parte é guardada por uma pessoa. A trama do filme se desenvolve através da aventura que esses envolvidos vão vivenciar até se encontrarem, justamente na porta de acesso à Torre.

No mundo antigo, a palavra “torre”, tinha o sentido de caminho ou uma passagem entre a terra e o céu. Procede, pois o texto bíblico informa que o objetivo daqueles homens, ao construirem a Torre de Babel, era que, além dela poder tocar o céu, ou seja, acessar o conhecimento de Deus, eles fariam um “nome” e não precisariam ser espalhados pela face da terra. Deus confundiu as línguas do homens, como forma de impedir a desobediência da raça humana.

Deus revela seu conhecimento e seus segredos, um pouco para cada ser humano, com o objetivo de manter contato e comunhão com todos e que todos troquem informações entre si, para que também seja mantido o amor fraternal. Ninguém tem o direito de manter para si, segredos revelados por Deus. O que acreditamos é uma coisa e o que vemos é outra. Ninguém consegue descobrir nada, sozinho; sempre deverá compartilhar com alguém, o segredo recebido, para que sua “descoberta” seja colocada em prática.

Desde o Éden o homem deseja, não conhecer Deus, mas ter o conhecimento dEle. Isso tem levado o homem a buscar o apoio e conivência de Satanáz para tentarem destruir Deus. Parece até hilário o homem agir dessa forma, mas isso é fato. É também lógico que nunca seremos iguais a Deus, pois apenas Ele é Todo-Poderoso e ponto final. Essa lei divina incomoda o homem desde sempre; mas lei é lei, e não será revogada, principalmente por ser uma lei divina. Quer o homem queira ou não, Deus é Deus!!!

Nossa vida é comparada com as tempestades do deserto. Se temos um segredo revelado por Deus e não quisermos compartilhá-lo, vamos morrer com ele, pensando que fomos privilegiados, escolhidos, iluminados…. Ledo engano, pois pela nossa atitude, Deus revelará o mesmo segredo dEle para diversas outras pessoas que terão a humildade de compartilhar esse conhecimento e beneficiar a humanidade. Deus é um segredo a ser revelado e Ele disponibilizou seu Filho Jesus Cristo para essa missão. Jesus Cristo é a “torre”, o caminho que nos leva ao céu. Quem o negar como o único caminho pelo qual podemos ter acesso ao Deus Supremo, só tem a perder em todos os sentidos.

Sinopse retirada da capa do DVD:

“Diane, uma jovem e atraente arqueologista, conhece o Dr. Neil Hogan nos arquivos secretos do Vaticano. Ambos estão interessados no grande mistério que o pai de Diane, o famoso cientista Dr. Shannon, deve ter descoberto na Africa – porque desde então ele nunca mais foi visto por ninguém. Mas Diane está totalmente convencida de que seu pai ainda está vivo. Ele procurava uma torre que, de acordo com registros antigos, pode conduzir as pessoas à extrema sabedoria. Ignorando o aviso de seus amigos, Diane decide viajar em busca de seu pai e encontrar a lendária torre. Também na busca do monumento, que contem as respostas sobre o tempo e o espaço, está uma tropa de cavaleiros selvagens do deserto, sob o comando do bravo oficial Léon. Ajudada por Rachid, um misterioso príncipe do deserto e velho amigo de seu pai, Diane passará por grandes perigos.”

“Examinai tudo. Retende o bem”. (Bíblia Sagrada – ARC, I Tes. 5.21) – “Mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom” (Mesmo texto bíblico, na Versão NVI)

Sonia Valerio da Costa
Em 31/07/2010
areias do tempo