Livros

ocodigo

Tive a oportunidade de ler diversos livros de Augusto Cury. Todos me proporcionaram melhor compreensão do comportamento humano dentro da sociedade, como também do comportamento emocional e psicológico de Jesus Cristo, agindo como homem e como Deus conosco.

Em  “O Código da Inteligencia” Augusto Cury  compartilha com o leitor um conhecimento profundo da mente e inteligencia do ser humano. Muitas pessoas estão perdendo informações preciosas por não se interessarem pela leitura dos textos desse escritor abençoado, porque pensam que seus livros são meras literaturas de auto-ajuda.

Isto não é verdade e preciso discordar de todos os que se deixaram influenciar por essa opinião, pois os livros de Augusto Cury, são fundamentados em psicologia aplicada do comportamento humano. Seus livros podem ser considerados como uma ótima oportunidade para quem precisa fazer terapia psicológica e não tem condições financeiras para tal, ou mesmo não quer se expor publicamente.

Considero o “O Código da Inteligencia” como se fosse um psicólogo conversando com o leitor e levando-o a compreender suas dificuldades e distúrbios emocionais em seus relacionamentos sociais. É como se o leitor estivesse num divã ouvindo verdades que lhe são necessárias e que poderá acessá-las tantas vezes, quantas forem necessárias para que as assimile satisfatoriamente, de forma a melhorar, mudar, ou mesmo se transformar em alguém que consiga se ajustar adequadamente à sociedade.

O escritor nos leva a questionar todos os pensamentos filosóficos através do que ele chama de “arte da dúvida”“arte da crítica”. “Duvidar significa pensar, duvidar freia o excesso de subjetivismo, filtra as falsas crenças. A dúvida é o principio da sabedoria na filosofia e a crítica é o principio da sabedoria na psicologia”.

“Através da arte da dúvida e da crítica todos os paradigmas irracionais, dogmas existenciais e pensamentos destruidores que compramos por preço de verdade, passariam por um choque de gestão, seriam filtrados pelo EU. Quem não critica o que crê não lapidará suas crenças, quem não lapida suas crenças será servo das suas verdades. E se suas verdades forem doentias, certamente será uma pessoa doente.”

A ausência da dúvida e da crítica proporciona armadilhas para a mente humana, aprisionando-nos dentro de nós mesmos e que acabam se tornando como bloqueios emocionais e comportamentais em nossa mente; imperceptivelmente vamos nos afastando das pessoas por desenvolvermos dificuldades em nossos relacionamentos. Cury apresenta com muita propriedade e compreensão, com respeito aos diferentes comportamentos humanos os quais podem ser divididos em quatro grupos: o conformismo, o coitadismo, o medo de reconhecer os êrros e o medo de correr riscos.

Na terceira parte do livro ele detalha melhor com respeito aos códigos da inteligencia propriamente ditos, e como eles devem ser trabalhados e decifrados para que possamos ser verdadeiramente livres e vivermos a vida que nos foi planejada por Deus, nosso Criador.

Transcrevo aqui uma especie de dedicatoria apresentada no inicio do livro:

“Decifrar os códigos da inteligencia nos faz entender

Que não somos deuses, mas seres humanos imperfeitos.

Decifrar os códigos do Eu como gestor do intelecto,

Da Resiliencia, do Carisma, do altruísmo,

Da Autocrítica, do Debate de Idéias, da Intuição criativa,

Não é um dever, mas um direito de cada ser humano

Que busca ter uma mente brilhante e procura

A excelencia emocional, social e profissional.

é um privilegio daqueles que compreendem que

Quando a sociedade nos abandona, a solidão é suportável.

Quando nós mesmos nos abandonamos, ela é intolerável.”

 

Recomendo a leitura deste livro pois com certeza irá contribuir para “filtrar os estímulos estressantes, gerir os pensamentos e proteger suas emoções”.

 

Por Sonia Valerio da Costa
Em 04/07/2011
Veja comentários de outros livros em: Índice de Outros Livros

guirlanda

 

Filmes

“Feche os olhos mas deixe a mente bem aberta.” Jess é um garoto sonhador e sem amigos, até conhecer Leslie Burhe. Ela desperta nele um mundo completamente diferente, e juntos, criam o secreto Reino de Terabítia. Lá terão que enfrentar criaturas fantásticas provando que nada é impossivel. Prepare-se para encontrar mais do que você jamais imaginou nessa emocionante aventura. (sinopse da capa do filme)

Minha opinião: Jess Aarons vivia seus sonhos e aventuras, apenas através de seus desenhos, pois se sentia discriminado no meio de sua própria família. Seus pais o tratavam como um adulto, enquanto que suas irmãs eram tratadas com todo carinho, amor e mimo.

Ele acaba se identificando com uma nova colega de classe, Leslie Burke, que por coincidência, descobre que também é sua nova vizinha de residência. Sua curiosidade em conhecê-la, é despertada quando numa das aulas ela expressa que não poderia assistir o Programa indicado pela professora, pois não tinha televisão; questionada pelos colegas, afirma que essa era uma decisão de seu pai, que dizia que “assistir televisão queima os neurônios”.

Um dia quando Jess e Leslie voltam da escola, decidem conhecer um bosque, localizado do outro lado de um pequeno riacho, que passa nos fundos de suas residências. Acabam considerando aquele lugar, como um segredo para suas fantasias existenciais e o nomeiam como “Terabitia”; passam a frequentar diariamente a quele lugar, como se fosse um mundo imaginário.

A trama da historia mostra claramente a importância de permitir que as crianças vivam suas fantasias, pois é através delas que aprendem a lidar com seus medos, fracassos, desânimos e frustrações e, paulatinamente vão aprendendo a vencer os obstáculos enfrentados constantemente durante nossa vida.

A criança que lê contos de fadas tem maior facilidade de assimilar as histórias bíblicas e desenvolvem a fé de uma forma mais efetiva. Vale a pena assistir o filme, ou ler o livro do mesmo nome, pois demonstra isso na prática. Leslie não era cristã; um dia convidada por Jess, aceita o convite de muito bom grado e, na Igreja, tem um encontro com Deus, enquanto que a familia de Jess, mesmo sendo cristãos, ainda não tinham tido um encontro marcante com Deus; o comportamento da familia demonstra isso claramente.

O que aprendi: Deus não está confinado a quatro paredes de nenhuma denominação eclesiástica; Ele se manifesta através das nossas vidas, quando abrimos nosso coração para Ele. Ouça o hino “Rude Cruz” que é cantado na Igreja, no dia em que Leslie vai pela primeira vez:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=TkfguDqD89c&fs=1&hl=pt_BR]

Sonia Valerio da Costa
Em 22/08/2010

Filmes

ponteterabitia

“Feche os olhos mas deixe a mente bem aberta.” Jess é um garoto sonhador e sem amigos, até conhecer Leslie Burhe. Ela desperta nele um mundo completamente diferente, e juntos, criam o secreto Reino de Terabítia. Lá terão que enfrentar criaturas fantásticas provando que nada é impossivel. Prepare-se para encontrar mais do que você jamais imaginou nessa emocionante aventura. (sinopse da capa do filme)

Minha opinião: Jess Aarons vivia seus sonhos e aventuras, apenas através de seus desenhos, pois se sentia discriminado no meio de sua própria família. Seus pais o tratavam como um adulto, enquanto que suas irmãs eram tratadas com todo carinho, amor e mimo.

Ele acaba se identificando com uma nova colega de classe, Leslie Burke, que por coincidência, descobre que também é sua nova vizinha de residência. Sua curiosidade em conhecê-la, é despertada quando numa das aulas ela expressa que não poderia assistir o Programa indicado pela professora, pois não tinha televisão; questionada pelos colegas, afirma que essa era uma decisão de seu pai, que dizia que “assistir televisão queima os neurônios”.

Um dia quando Jess e Leslie voltam da escola, decidem conhecer um bosque, localizado do outro lado de um pequeno riacho, que passa nos fundos de suas residências. Acabam considerando aquele lugar, como um segredo para suas fantasias existenciais e o nomeiam como “Terabitia”; passam a frequentar diariamente a quele lugar, como se fosse um mundo imaginário.

A trama da historia mostra claramente a importância de permitir que as crianças vivam suas fantasias, pois é através delas que aprendem a lidar com seus medos, fracassos, desânimos e frustrações e, paulatinamente vão aprendendo a vencer os obstáculos enfrentados constantemente durante nossa vida.

A criança que lê contos de fadas tem maior facilidade de assimilar as histórias bíblicas e desenvolvem a fé de uma forma mais efetiva. Vale a pena assistir o filme, ou ler o livro do mesmo nome, pois demonstra isso na prática. Leslie não era cristã; um dia convidada por Jess, aceita o convite de muito bom grado e, na Igreja, tem um encontro com Deus, enquanto que a familia de Jess, mesmo sendo cristãos, ainda não tinham tido um encontro marcante com Deus; o comportamento da familia demonstra isso claramente.

O que aprendi: Deus não está confinado a quatro paredes de nenhuma denominação eclesiástica; Ele se manifesta através das nossas vidas, quando abrimos nosso coração para Ele. Ouça o hino “Rude Cruz” que é cantado na Igreja, no dia em que Leslie vai pela primeira vez:

Sonia Valerio da Costa
Em 22/08/2010

Le secret de Terabithia Bridge to Terebithia 2007 real: Gabor Csupo Josh Hutcherson COLLECTION CHRISTOPHEL