Variedades

realvirtual

Você me quer pela metade,

Eu a quero por inteiro.

Você me quer virtual

Eu a quero real.

Você me ama pelo computador,

Eu a amo com meu amor.

Você manda torpedo pelo celular,

Eu te abraço em qualquer lugar.

Você me manda email

Eu me mando pra você por inteiro.

Assim é o nosso amor

Real e virtual

Você contenta-se com o virtual

Eu só me contento com o real.

Poema de Ricardo Carneiro Leão, do livro “Deserto de Concreto: poemas & poesias: ontem, hoje e amanhã”.

Decidi  postar este poema que, por acaso, encontrei no acervo da Biblioteca onde trabalho. Ele retrata muito bem a minha forma de pensar quanto aos relacionamentos virtuais.

É necessário tomarmos cuidado com as amizades virtuais que, além de proporcionarem situações propícias às fantasias, acabam distorcendo de tal forma o comportamento humano, que as consequências serão, fatalmente, desestruturação da nossa família na vida real.

A Internet pode aguçar a percepção e até desenvolver a inteligência, mas bloqueia a criatividade, que cada um de nós possui de forma inédita.

Eu prefiro preservar minha criatividade!!!

Por Sonia Valerio da Costa
Em 22/11/2010
Variedades

(Imagens Google)

Os passatempos vem conquistando cada vez mais espaço em todo o mundo, como sinônimo de diversão educativa. Hoje, eles já são vistos como ferramentas importantes para o desenvolvimento do raciocínio e da concentração.

Todo ser humano nasce com cerca de 100 bilhões de neurônios e não ganha mais nenhum ao longo da vida. A melhor forma de tornar a mente mais esperta é exercitarmos esses neurônios:

1) Cada nova descoberta é transformada pelo cérebro em descarga elétrica e transmitida neurônio a neurônio até ser armazenada.

2) Exercícios como os passatempos incentivam o cérebro a fazer essas novas ligações, as chamadas “sinapses” entre as células nervosas.

3) Com os caminhos de informações ativos, é mais fácil e rápido fazer associações e cruzar os dados armazenados na mente.

4) Esse tipo de exercício estimula a criatividade, favorece a memória, retarda o envelhecimento e contribui para a inteligência.

Os passatempos são ótimos para exercitar o cérebro; e o melhor é que é sem estresse! As palavras cruzadas, são um dos passatempos mais conhecidos, que os cientistas chamam de brain fitness (ou “malhação cerebral”), pois prometem aumentar a capacidade de adquirir conhecimento e reter memória.

Finalmente, estudos também sugerem que os passatempos retardam o surgimento de doenças, como o mal de Alzheimer.

A leitura em si contribui para exercitar o cérebro e ainda proporciona prazer, pois leva o leitor a lugares inéditos através da imaginação.

Vamos passar mais tempo “malhando” nosso cérebro!

“Passatempos desenvolvem habilidades físicas, intelectuais e afetivas, despretensiosamente” (Lino de Macedo do Instituto de Psicologia do Desenvolvimento da USP)

Fonte: “Malhar o Cérebro Faz Bem” In: Para Saber e Conhecer, nº 12, jun/2010, p. 34

Por Sonia Valerio da Costa
Em: 01/10/2010

Filmes

príncipe3

Um trem passa e as crianças, agora adolescentes (Pedro, Suzana, Edmundo e Lucia), sentem a magia que os envolve, pois é tempo de retornarem a Nárnia.

Num Reino vizinho a Narnia, Caspiam é o único herdeiro do trono, até que nasce um primo seu, filho do Rei, que por direito assume a liderança para assumir o trono.

Caspiam foge para se livrar da sentença de morte que lhe foi proferida pelo próprio Rei, seu tio. Nessa fuga ele entra no Reino de Nárnia e se apresenta para salvar os narnianos da guerra iminente contra eles por terem dado asilo a Caspiam; em troca, os narnianos se propõem a lutar a favor de Caspiam, para que ele assuma o trono em lugar de seu tio.

Os quatro adolescentes também se envolvem nessa história, muito bem construída. Lucia vê vultos de Aslam e diz aos seus irmãos que ele poderá salvá-los, porém, é desacreditada. Aslam ficou 100 anos afastado de Narnia, pelo poder da feiticeira Branca que, ainda com sede de vingança por ter sido derrotada, pede uma gota de sangue, para fazer acordo com os “filhos de Adão” para salvar Nárnia.

Edmundo intervem e quebra esse encanto que quase se consolida, livrando Pedro de cair nessa armadilha diabólica. A guerra começa e os adolescentes percebem que sem Aslam não conseguirão vencer; então enviam Lucia para encontrar Aslam. Quando o encontra ele diz a Lucia que nunca acontece duas vezes da mesma forma e que quando Lucia vira o vulto dele, deveria tê-lo procurado, mesmo que seus irmãos não acreditassem.

Quando Aslam ressurge juntamente com Lucia, proporciona vitoria para os narnianos, de uma forma inédita, engenhosa e indescritível, que vale a pena ser assistida.

Como comentei em “O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa“, Aslam é um personagem criado por C.S. Lewis, que representa muito bem a atuação de Jesus Cristo para salvar o homem do pecado original da desobediencia de Adão e Eva.

Recomendo este filme, pois além de ser uma ficção, nos trás diversas lições de vida para nossa existência.

Por Sonia Valerio da Costa
Em 08/09/2010
príncipe2