Livros

Os tipos de gigantes que são apresentados neste livro nos afrontam diariamente e lutam para interceptar nossa caminhada, tanto física, quanto emocional, profissional e social, mas principalmente na área espiritual.

O autor fala com muita propriedade e se utiliza de uma linguagem clara, ilustrada com exemplos bastante familiares do nosso cotidiano.

Os títulos dos capítulos já falam por si só; conheça um pouco do conteúdo riquíssimo desta obra exemplar. Vejamos:

  1. Combatendo seus medos –  O medo ignora o plano de Deus, distorce Seus propósitos, desestimula o povo de Deus, se recusa a crer nas promessas divinas e desobedece os princípios de Deus. Continue lendo e saiba como combater o gigante do medo que, segundo o autor, é o mais mortal dos inimigos.
  2. Destruindo o desânimo – O desânimo nos faz perder a esperança, mas para o destruirmos, precisamos reconhecê-lo e reagir a ele clamando a Deus em primeiro lugar e não como último recurso.
  3. Libertando-se da solidão – Podemos nos sentir solitários, mesmo não estando sós. O autor dá exemplos bíblicos de solidão na Bíblia (Rei Davi, Profeta Jeremias, Apóstolo Paulo), e como eles reagiram a essa situação. O autor também nos apresenta atitudes bastante práticas para vencermos a solidão.
  4. Vencendo a preocupação – A preocupação é incongruente, irracional, ineficaz, ilógica e irreligiosa. Podemos vencer esse gigante, definindo prioridades, estabelecendo um programa estratégico. O autor cita uma frase de Corrie Ten Boom, autora do livro “O Refugio Secreto”: “A preocupação é um homem velho, com a cabeça encurvada, carregando um saco de penas, pensando que é pedra pesada”.
  5. Protegendo-se da culpa – A culpa nos causa agonia e nos acusa, mas para nos livrarmos desse gigante, o melhor a fazer, é confessarmos diante de Deus, assumirmos total responsabilidade pelo pecado, que apenas Deus, através de Jesus pode nos redimir, nos purificar, restaurar nossa alegria e renovar nossa comunhão com Ele.
  6. Domando a tentação – A experiência da tentação é comum a todos, pois esse é o trabalho do diabo, nos fazer pensar que já estamos derrotados mesmo antes de cedermos a ela.  À luz da Palavra de Deus, o autor nos garante que podemos escapar da tentação, quando nutrimos uma comunhão íntima e diária com Deus.
  7. Atacando a ira – Conheça a ira bíblica que é não-pecaminosa e renuncie à ira que é pecaminosa. Não alimente a ira, não ensaie a ira, não converse sobre sua ira, não extravase a ira, reverta sua ira e coloque um ponto final, invertendo-a e entregando-a a Deus.
  8. Opondo-se ao ressentimento – O ressentimento é a ira multiplicada pelo tempo. Na Bíblia vemos o ressentimento expressado também, através das palavras ‘rancor'(I Co. 13.5) e ‘raiz de amargura'(Hb. 12.15).  O ressentimento tem um preço; disse alguém que guardar ressentimento é tomar veneno e esperar que o outro morra. Nós podemos e precisamos resistir ao ressentimento. Leia este capítulo e veja os cincos passos práticos que o autor nos apresenta.
  9. Desarmando suas dúvidas – Todos nós já passamos por situações de dúvida e a diferença é como lidamos com elas. “A dúvida não é o oposto da fé, mas sim a oportunidade da fé. O verdadeiro inimigo da fé é a incredulidade, que se recusa a reconhecer. Podemos dizer que a dúvida faz perguntas;  a incredulidade se recusa a ouvir respostas.” Veja como o autor fala com propriedade, como é a melhor maneira de lidar com a dúvida.
  10. Evitando a procrastinação – A procrastinação rouba o nosso tempo e nossas oportunidades de servir e de ter êxito e também rouba nossa oportunidade de salvação. Saiba como vencer esse gigante que ronda todo ser humano.
  11. Encarando o fracasso – Combatemos esse gigante, quando reconhecemos nosso fracasso, e aplicamos as lições aprendidas para obtermos êxito em nosso novo empreendimento. Devemos aceitar o fracasso como um fato em nossa vida e não como um modo de vida. É importante que sempre nos levantemos dos fracassos e recomecemos como um ser humano mais forte e mais sábio.
  12. Passando por cima da inveja – A inveja é muito próxima do ciúme; enquanto a inveja é o desejo de ter o que os outros possuem, o ciúme é o medo de perder o que se tem. Ambos sentimentos são destrutivos. Destrói os outros, e a nós mesmos também. O autor nos orienta que devemos encará-los como pecado e nos orienta como derrotarmos mais esses gigantes que querem nos roubar, nos aprisionar e nos destruir.

Esses sentimentos são verdadeiros gigantes que precisam ser domados por nós. O autor nos leva a entender à luz da Palavra de Deus,  como isso pode ser feito com a ajuda do Espírito Santo no nosso dia-a-dia, e assim obtermos sucesso e vitória.

Recomendo a leitura deste livro, pois com certeza, ele vai enriquecer sua vida espiritual e te fortalecer nessa constante guerra que vivenciamos combatendo esses sentimentos que, apesar de parecerem gigantes, com a ajuda do Espírito Santo, eles podem ser  domados sim, e então “poderemos vencer as batalhas e conquistar a vitória”.

Veja comentários de outros livros em: Índice de Outros Livros

Por Sonia Valerio da Costa

Em 28/04/2017

Livros

w

O Pr. Gary Haynes idealizou e esboçou o Projeto de publicação deste livro “Manual Bíblico de Promessas”, e também escreveu as partes iniciais: “Prefácio”, “Vivendo as Promessas de Deus” e “A Riqueza das Promessas de Deus”. Também foi ele quem escolheu as promessas bíblicas que seriam comentadas.

Tive o privilégio de conhecer este livro maravilhoso na última Bienal do Livro, em São Paulo (2010). Já havia lido alguns livros do Pr. Gary, por isso não titubeei em adquirir um exemplar desse lançamento quando li que seu nome constava como um dos autores.

Gosto de ler o livro inteiro, antes de postar meu comentário a respeito; porém, este livro tem abençoado tanto minha vida, que, por ser um manual e uma coletanea de promessas bíblicas, achei por bem promovê-lo, antes mesmo de ler totalmente o livro. Mesmo porque eu estaria sendo egoista de saborear sozinha, tão grandes promessas, acompanhadas de comentários maravilhosos e abençoados, com orientações de como tomar posse de cada uma delas e, postergar seu compartilhamento com tantas outras pessoas, que também necessitam ser abençoadas.

A parte introdutória, “Prefácio”, “Vivendo as Promessas de Deus” e “A Riqueza das Promessas” contém informações riquíssimas sobre a vida do Pr. Gary Haynes, onde ele mesmo relata sua chamada missionária, suas experiências com Deus e também nos orienta, com fundamentações bíblicas e esclarecimentos plausíveis, a respeito da importância inimaginável de termos promessas divinas ao nosso alcance.

É a manifestação imensurável do amor de Deus para conosco. Deus é imutável e, portanto, quando Ele nos faz uma promessa, nada poderá invalidá-la. Para que possamos vivenciá-las, basta que creiamos nelas. Nos três textos da parte introdutória, o escritor, Pr. Gary Haynes, nos fornece detalhes irrefutáveis do carater divino, nos levando a aumentar de forma geométrica, nossa fé e confiança em Deus.

Após a introdução, já entramos na parte descritiva de centenas de promessas bíblicas. Para cada promessa bíblica apresentada, Eldo Ferreira doa Santos e Gilsa Pancote escreveram o comentário (Lição de fé para minha vida)  em seguida um texto, para que nossa fé seja colocada em ação (Declarando a promessa).

O primeiro nos oferece esclarecimentos e maior entendimento a respeito da promessa em pauta. O segundo, que vem logo abaixo, é como uma pequena oração que podemos ler mentalmente ou em voz alta e, pela fé, tomarmos posse da promessa em questão, para qualquer área de nossa vida, que estiver precisando de uma intervenção divina.

Recomendo a aquisição deste livro, pois não é um investimento financeiro, mas sim, um verdadeiro “seguro de vida”, pois com Cristo no nosso “barco”, tudo vai muito bem!!!!

Louvo a Deus pela vida desses três autores, Gary Haynes, Eldo Ferreira dos Santos e Gilsa Pancote, que, principalmente neste livro, foram usados por Deus, como verdadeiros canais de bênçãos para a tão carente sociedade atual.

Obs: Em 11/01/2011 fiz alterações neste Post, com respeito à autoria deste livro “Manual Bíblico de Promessas”, pois  não havia ficado esclarecido que o mesmo possui três autores distintos, conforme consta agora, depois desta atualização.

Por Sonia Valerio da Costa
Em 16/10/2010
Veja comentários de outros livros em: Índice de Outros Livros

barrabênçao

Filmes

leaonarnia

Durante uma brincadeira de esconde-esconde, Lúcia entra dentro de um guarda-roupa; tem o cuidado de deixar apenas uma fresta aberta, para entrar uma certa claridade, de forma que ela não viesse a se sufocar no meios dos casacos que alí estavam. Enquanto aguarda a contagem para que fosse procurada, ela se deixa levar pelo imaginário e viaja em suas fantasias para uma terra chamada Nárnia, onde está nevando.

Lá ela encontra um fauno que não tem coragem de denunciá-la à Feiticeira Branca. A fantasia é um aliado importante na iniciação da leitura, pois contribui para o desenvolvimento da criatividade na criança. Quando a criança tem oportunidade de ler literatura de ficção ou mesmo de contos de fadas, ela terá, em sua fase adulta, maior possibilidade em aceitar o Evangelho de Jesus Cristo, mediante o exercício da fé.

Após esse primeiro contato com Nárnia, Lucia sai de seu esconderijo, pois seus irmãos não conseguem encontrá-la. Ela relata o que vivenciou, de uma forma tão realística que consegue convencer seus irmãos a entrarem em Nárnia, juntamente com ela, através do guarda-roupa.

A Rainha Branca está dominando Nárnia, porém seu verdadeiro Rei é Aslam. Em Nárnia as crianças tomam conhecimento da existência de uma lenda de que iriam chegar 2 filhos de Adão e 2 filhas de Eva, quando então a Feiticeira Branca seria vencida e Aslam retornaria ao seu trono.

Edmundo acaba sendo aprisionado pela Rainha Branca, que através de chatagem emocional, deixa-o sem comida e o obriga a sair em procura de seus irmãos. Devido a essa pressão ele acaba se tornando um traidor, se alia com a Rainha e a ajuda a encontrar seus irmãos.

Eles, Pedro, Suzana e Lucia, fogem, guiados por um casal de castores e conseguem atravessar o rio; a partir de então chega a primavera e já não precisam mais de casacos para se protegerem da neve. A primavera é um indicio de que Aslam está chegando. Lucia, Suzana e Pedro teem a oportunidade de conhecer Aslam, um leão muito forte e corajoso tanto quanto bom e justo.

Enquanto participam para Aslam que o irmão menor, Edmundo está em poder da Rainha Branca, esta chega com seus soldados e cães, tentando intimidar Aslam, dizendo que está escrito que todo traidor pertence a ela.

Aslam pede para conversar a sós com a Rainha Branca e fazem um acordo: se entrega para que seu pelo seja cortado e se oferece para derramar seu sangue, no lugar de Edmundo, sobre a mesa de pedra.

A Rainha Branca, ainda respirando ameaças, diz que não tem interesse em prisioneiros, pois eles são passiveis de arrependimento, portanto manda que seus soldados petrifiquem todos os narnianos.

Lucia e Suzana, sem entenderem bem qual foi o acordo feito entre Aslam e a Feiticeira Branca, seguem discretamente os passos de Aslam que se dirige à mesa de pedra, onde acontece um verdadeiro festival das trevas comemorando vingança sobre a morte de Aslam.

Escondidadas, elas presenciam tudo, sem poder intervir ou mesmo impedir aquela situação tão deprimente e constrangedora. Depois que o ritual termina e todos se vão, elas se aproximam da mesa de pedra onde constatam que Aslam está morto e passam um tempo chorando sobre o corpo dele.

Mas quando o dia amanhece, elas são surpreendidada com a ressuscitação de Aslam. Este esclarece que a Feiticeira Branca não conhecia que estava escrito que, se alguém derramasse sangue inocente, sobre aquela mesa de pedra, no lugar de um traidor; como sinal, a mesa partiria ao meio e o morto ressuscitaria.

Assim a maldição da Feiticeira Branca estaria quebrada para sempre e todos os narnianos que haviam sido petrificados, reviveriam e teriam uma nova oportunidade de arrependimento.

A Rainha Branca também se surpreende com a ressuscitação de Aslam, mas nada pode fazer, quando este salta sobre ela e seus súditos; nesse momento todos os inimigos de Aslam se evaporam e desaparecem literalmente diante das 4 crianças que ficam extasiadas com aquela visão do Bem vencendo o Mal.

Os narnianos aclamam as crianças (Pedro, Edmundo, Suzana e Lucia) como reis e rainhas de Nárnia. Aslam vai embora, dizendo que cumpriu sua missão. O fauno que foi o primeiro narniano a recepcionar Lucia, afirma que Aslam voltará.

Em toda essa historia podemos entender que C. S. Lewis criou uma fantasia que permite entender claramente o proósito de redenção realizado por Jesus Cristo na cruz do Calvário, para perdoar o pecado original da humanidade, para que esta pudesse voltar a ter comunhão com o Deus Pai, Criador dos Céus e da Terra.

Recomendo a que todos assistam esse Filme, principalmente os pré-adolescentes e adolescentes, pois terão subsidios para melhor entender o plano elaborado por Deus, enviando seu próprio Filho para nos trazer salvação.

Por Sonia Valerio da Costa
Em 07/09/2010

Você poderá gostar também de:

Lições das Crônicas de Nárnia – Clauco B. Magalhães Filho, Prefaciado por Dr. Russell Shedd

Entenda melhor a respeito dos Narnianos

le monde de Narnia : Chapitre I - le lion, la sorcière blanche et l'armoire magique The Chronicles of Narnia: The Lion, the Witch and the Wardrobe 2005 Réal. : Andrew Adamson Collection Christophel