Capítulo 9, Meu livro

“A vida do homem não é um mero ‘passar pela vida’.  ela é significativa quando o homem, vencendo os desafios de seu mundo físico ou social, permite-se conviver com seus semelhantes.” (Professor Edgardo da Silva)  (39)

A curiosidade é tão intrigante que nos faz esquecer de compromissos importantes, às vezes até agendados, para que satisfaçamos completamente os nossos desejos de sabermos plenamente os fatos que surgiram à nossa frente e que, de imediato, nos provocaram esse sentimento.

O poder da curiosidade

“A curiosidade é o recurso mais fecundo com que o homem, desde sempre, procura derrotar os seus inimigos atávicos; a fome, o cansaço, a ignorância, o medo, a feiúra, a solidão, a dor e a morte. Em cada esquina do planeta, em cada fase da sua evolução, a criatividade humana consegue atribuir uma forma ao caos, um significado às coisas.”  (49).

A curiosidade nos prende a atenção e nos leva a concentrarmo-nos em determinados fatos, mesmo que seja em detrimento de outros até mais importantes para nossas vidas.  Nem pensamos em medir as conseqüências; falou-se em surpresa, que automaticamente, já sentimos nossa curiosidade aguçar-se para descobrir o segredo.

A Bíblia Sagrada registra que após o dilúvio, a partir das famílias dos filhos de Noé, é que foram divididas as famílias da Terra. (1: Gn. 10:32).  Naquela época toda a Terra falava uma mesma língua (1: Gn. 11:1).  Isso contribuía para que a comunicação entre os seres humanos fluísse com maior rapidez.

Entendemos que como a curiosidade sempre acompanhou o ser humano, naquele momento da história, decidiram se unir para que, através de uma construção (a Torre de Babel), pudessem descobrir os mistérios dos céus.  O erro deles não foi o fato de construírem um grande edifício, mas sim a soberba de buscarem conhecimentos por eles mesmos e, assim como Adão e Eva, acabaram se esquecendo de cultivar a reverência ao Deus Criador.

E aconteceu a confusão de línguas…

Para quebrar esse orgulho e prepotência humana, a Bíblia Sagrada registra que Deus confundiu a linguagem de todos eles, de forma que uns não conseguiam mais compreender o que seus demais colegas de trabalho diziam.  Conseqüentemente não puderam continuar aquela construção e acabaram se espalhando pela face da Terra, conforme a similaridade das línguas que cada grupo começou a falar.

Psicólogos evolucionistas têm pesquisado este fato bíblico e já estão conseguindo desvendar esse mistério da confusão de línguas.  Pelos estudos realizados até então, as línguas européias e asiáticas teriam nascido entre oito e dez mil anos atrás, das bocas dos primeiros agricultores do planeta, talvez na atual Turquia. (44)

Cheguemos pois, com confiança! (85: Hb. 4:16)

Deus se agrada de homens ousados e que se disponibilizam a participar de Seus planos; de homens que, revestidos do discernimento do Espírito Santo, se coloquem na posição certa para serem usados por Deus no cumprimento de Sua Palavra.

A Bíblia Sagrada contém textos escritos por Moisés, Davi, Salomão, Daniel e outros tantos profetas que disponibilizaram seu tempo para “ouvir” Deus falar tendo também o cuidado de “escrever” a “voz de Deus”, a fim de ser transmitida para a posteridade. Deus usou cada um, segundo suas habilidades e predisposições para aprender, no sentido de transmitir seus conhecimentos para facilitar a cada dia o modus vivendi do homem.

Lendo a Bíblia Sagrada concluímos que Deus se agrada daqueles que, mantendo o temor a Ele, buscam aprofundar-se no conhecimento da ciência; cremos que todo o avanço da ciência vem de Deus.  O adversário não tem capacidade para criar nada, pois ele também é um ser criado.

Todas as descobertas que o homem tem alcançado são revelações divinas e dessa forma, penso que Deus se agradaria muito mais em revelar seus mistérios científicos para os que se dizem “piedosos”, a ter que revelá-los para os adversários, por falta de pessoas que se disponibilizem para tal.

Toca-me profundamente quando leio o Prefácio do Evangelho Segundo escreveu o Evangelista São Lucas (1: Lc. 1:1-4); sendo médico (1: Cl. 4:14), ele poderia questionar as atitudes de Jesus Cristo por ter curado enfermos, principalmente quando soube que Jesus enviou os setenta discípulos e os orientou que em todas as cidades que entrassem, curassem os enfermos que nelas houvesse (1: Lc. 10:9).

Creio que o Dr. Lucas era realmente convertido, pois se pensasse egoisticamente, questionaria os Apóstolos, para saber de onde os médicos passariam a tirar seu ganha-pão, caso aqueles milagres continuassem acontecendo!!!??…

O Dr. Lucas, pelo contrário, como um bom médico, possuía uma das qualidades essenciais que é a compaixão, nos deixando uma forte impressão pelo que escreveu. Em seu Evangelho ele enfatizou a compaixão de Jesus Cristo. Registrou vividamente tanto o poder demonstrado pela vida de Cristo quanto o cuidado com que Ele tratava as pessoas. (75, p. 1523)

O Dr. Lucas é mais uma das provas irrefutáveis dos milagres realizados por Jesus Cristo; sendo médico, ele não se conteve em apenas ouvir falar sobre o que Jesus havia realizado, mas teve a ousadia dele mesmo “se informar minuciosamente de tudo desde o princípio, diretamente com as pessoas que presenciaram os fatos”. (1: Lc. 1:1-4)

Foi assim que ele chegou ao entendimento que, apesar de todo conhecimento que a medicina possuía até aquela época, nenhum médico teria capacidade para curar enfermos de forma tão singular, se não fosse pelo poder miraculoso de Jesus Cristo.

O Evangelista Dr. Lucas foi sábio em seguir a Jesus, pois pôde entender que ainda havia muito conhecimento a ser alcançado, tanto espiritual, quanto científico.

Quem detém o pleno conhecimento?

Em cumprimento à Sua Palavra, (1: Dn. 12:4), Deus tem revelado amplos conhecimentos tecnológicos para a humanidade, porém, nos parece que os mais interessados em adquirir esse conhecimento têm sido pessoas que, ao vislumbrarem as infinitas possibilidades que a tecnologia nos oferece, acabam utilizando-as para manipular os menos avisados.

“A atração do conhecimento seria mínima, se não houvesse tanto pudor a vencer no caminho até ele”.  (6)

Lamentavelmente temos presenciado que as pessoas de boa índole, que têm personalidade firme e bom caráter, em sua grande maioria, são as que menos se interessam em adquirir conhecimentos tecnológicos e científicos, para que sejam aplicados em benefício da nossa sociedade.

Como bibliotecária que sou, cheguei ao entendimento desse mistério, pois no dia de minha formatura, nosso “Juramento” continha as seguintes palavras:

“Prometo cumprir, com retidão, meus deveres de Bibliotecário, servindo a todos, sem preconceito de raça, credo ou idéias, visando ao aperfeiçoamento da sociedade, a grandeza da Pátria e a Glória de Deus.”

Tudo o que fizermos neste mundo, devemos fazê-lo sempre refletindo, se tal atitude está sendo realizada tanto para o aperfeiçoamento da sociedade, quanto para a grandeza de nossa Pátria e principalmente se está sendo para Glória de Deus.

Normalmente o ser humano quer que os outros vivam da forma que ele acha que é certa, porém não querem se submeter à vontade d’Aquele que os criou.

Mesmo antes de o homem pecar, Deus sempre se interessou em lhe transmitir, todo o conhecimento e mistérios da ciência; porém, atualmente, percebemos que tem sido mínimo o interesse em adquirir conhecimentos científicos que o Deus Criador tem prazer em disseminar.

Parece-nos que o maior interesse da humanidade tem sido apenas uma preocupação egoística consigo mesma e com a salvação de suas próprias vidas.  Os cristãos, principalmente, têm pensado apenas no arrebatamento da Igreja de Jesus Cristo, como se o fato de ir para o Céu fosse apenas um fim em si mesmo e tudo se acabasse aí. (85: I Co. 15:51-58; I Ts. 4:13-17; Ap. 21:2-7)

Lendo a Bíblia Sagrada, entendo que Deus não criaria o Universo e tudo o que nele há, simplesmente, para “passarmos” por esta vida e depois da morte do nosso corpo físico, irmos para o Céu, e ficarmos lá de braços cruzados.

Também não nos é revelado com clareza o que nos acontecerá no nosso infinito futuro; sabemos porém, que o próximo passo será reinarmos com Cristo durante mil anos e isso nos basta  para que saibamos viver o presente com sabedoria (1: Is. Cap. 11; Jo. 16:12-13; Ap. 20:6)).

“… porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar.”  (1: Is. 11:9b)

Buscando nosso autocontrole

Na Bíblia Sagrada encontramos as seguintes mensagens:

“Fugi da prostituição”. (1: I Co. 6:18a)

“Sujeitai-vos, pois a Deus, resisti ao diabo (nosso adversário), e ele fugirá de vós.” (1: Tg. 4:7)

O adversário, nós já conhecemos, e debaixo da autoridade de Deus, podemos vencê-lo, visto que também ele já foi derrotado na cruz do calvário (1: I Co. 15:54; Hb. 2:14-15; Ap. 12:7-11). Mas, quanto à prostituição, não podemos vencer, devido à fraqueza deste corpo que estamos utilizando para viver. O conselho, então, é fugir dela. “Há ocasiões em que covardia é sinônimo de sabedoria.” (83)

Se dermos vazão à nossa curiosidade para satisfazermos nossos desejos passageiros, acabaremos morrendo em vários sentidos: poderemos antecipar nossa morte física, (37) ficaremos marginalizados da família e da sociedade e poderemos perder a oportunidade de receber o novo corpo espiritual do qual a Bíblia fala (1: II Co. 5:8; Fl. 3:20-21).

“Entretanto, ninguém  ao ser tentado, deverá dizer: “Estou sendo tentado por Deus”. porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a nenhuma pessoa tenta. Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por esse iludido e arrastado. Em seguida, esse desejo, tendo concebido, faz nascer o pecado, e o pecado, após ter se consumado, gera a morte.

Acrescento ainda a nota de rodapé: “Deus não pode ser tentado porque é santo por natureza e, portanto, nada existe no pecado que o interesse. Ao passo que o ser humano tem uma queda natural para o pecado (Gn. 3), que pode ser vencida pelo poder do Espírito Santo , à medida que o crente descobre quão magnífico é o prazer de viver de acordo com a vontade de Deus. As palavras “tentação” e “provação” têm origem na mesma expressão grega. Contudo, Deus considera todos os nossos obstáculos como provas de fé para a vitória, ao passo que Satanás espera que sejamos tentados (iludidos por nossa vontade), derrotados e destruídos, assim como ele próprio (Gn 22:1; Mt. 4:1)”    (85: Tg. 1:13-15).

Fique tranqüilo!  Seu corpo só morrerá uma vez!

Deus nos facultou apenas uma oportunidade para sermos redimidos, que é receber a transformação deste corpo mortal, em corpo espiritual.  Não teremos mais nenhuma oportunidade de voltarmos num outro corpo, para repararmos algum erro que tenhamos cometido no passado (1: Rm. 5:12-21; Hb. 9:27; Ap. 14:13), mesmo porque, estaríamos pagando por erros que já não teríamos mais consciência, pois foram cometidos por outro corpo.

A partir do momento em que o homem desobedeceu ao mandamento divino, não teria mais sentido Deus prorrogar sua vida, pelo contrário; agora, o mais sensato, seria entregá-lo ao curso natural da vida, deixá-lo morrer, e assim garantir a oportunidade de poder ser redimido. (1: Rm. Cap. 8;  I Co. 15:44-54)

O Apóstolo Paulo afirma que nossa verdadeira vida está escondida com Cristo em Deus (1: Cl. 3:3; I Jo. 5:11). Portanto, enquanto estivermos vivendo esta vida dada por Deus, vivamos de maneira tal, para que possamos receber um novo corpo espiritual, e também um novo nome (1: Ap. 2:17; 3:12)

Falaremos uma só língua!Quando a morte e o pecado forem totalmente aniquilados (1: I Co. 15:26, 54-57), e o Reino de Jesus Cristo tiver sido estabelecido na face da Terra, com certeza haverá novamente uma só língua, pois toda a humanidade, já num corpo imortal, estará preparada para utilizar uma só linguagem e se comunicar construtivamente para o bem do Universo.

Com certeza essa língua que será utilizada para a comunicação entre os seres que habitarão no novo Céu e nova Terra (1: Ap. 21:1), dos quais a Bíblia fala, será irradiada e regada com o Amor divinal, pois tudo que é perfeito começa e termina com Amor.

“O amor é a essência que alimenta o corpo e a alma. É o sopro de Deus. Dá objetivo à vida. E nos concede a graça de dar e receber, assim como o ar entra e sai dos nossos pulmões.” (22)

A suprema excelência do Amor!

“Eu poderia falar todas as línguas que se falam na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o barulho do gongo ou o som do sino.

‘Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter toda a fé necessária para tirar as montanhas dos seus lugares; mas, se não tivesse amor, eu não seria nada. 

‘Poderia dar tudo o que tenho e até entregar o meu corpo para ser queimado; mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada. O amor é paciente e bondoso.  O amor não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso.  Não é grosseiro, nem egoísta.  Não se irrita, nem fica magoado.  O amor não se alegra quando alguém faz alguma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo.  O amor nunca desanima, porém tudo suporta com fé, esperança e paciência. O amor é eterno. 

‘Há mensagens espirituais, mas durarão pouco.  Existem dons de falar em línguas estranhas, mas acabarão logo.  Há conhecimento, mas terminará também.  Pois os nossos dons de conhecimento e as nossas mensagens espirituais existem somente em parte.  Mas, quando vier o que é perfeito, então o que existe em parte desaparecerá.

‘Quando eu era criança, a minha maneira de falar, de sentir e de pensar era de criança.  Agora que já sou adulto, não tenho mais essas maneiras de criança.  O que agora vemos é como uma imagem confusa num espelho, mas depois veremos face a face.  Agora conheço somente em parte, mas depois conhecerei completamente, assim como sou conhecido por Deus. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor. Porém o maior desses é o amor.” (45: I Co. 13)

Amar é uma das necessidades vitais da existência

Quem ama, vive a vida intensamente.

Quem ama, extrai sabedoria do caos.

Quem ama, tem prazer em se doar.

Quem ama, aprecia a tolerância.

Quem ama, não conhece a solidão.

Quem ama, supera as dores da existência.

Quem ama, produz um oásis no deserto.

Quem ama, não envelhece, ainda que o tempo sulque o rosto.

O amor transforma miseráveis em ricos.

A ausência do amor transforma ricos em miseráveis.

O amor é uma fonte de saúde psíquica.

O amor é a expressão máxima do prazer e do sentido existencial.

O amor é a experiência mais bela, poética e ilógica da vida.

Cristo discursava sobre a revolução do amor… (5)

 

Continue lendo o capítulo 10: Reconstruindo Conhecimento

 

Sonia Valerio da Costa

19/11/2009

Capítulo 11, Meu livro

Você já parou para ler?  Já parou para pensar?  Já parou para escrever?  Já teve oportunidade de falar?  Já parou para ouvir? Já se deixou ser transformado? Já criou alguma coisa? Então dê o primeiro passo, e minha sugestão é que, seu primeiro passo, seja acordar para a vida!!!…

No Programa “Tribuna do Esporte”, transmitido pela TV Assembléia em 25/12/2003, Alex Dias Ribeiro (piloto e empresário), fez a seguinte comparação: “nosso corpo é o chassi, nossa mente é o computador e nosso espírito é o software, pois somos seres tridimensionais”.

Na minha concepção, a parte física do computador (hardware), que está dentro do gabinete Mentor, contém a placa mãe, que seria nosso corpo e a CPU nosso cérebro. A parte dos programas e aplicativos (software), seria nosso espírito onde nossa alma (livre-arbítrio) atua com raciocínio para dar comandos ao nosso corpo.

“A grande finalidade do conhecimento não é conhecer, mas agir.”  (Thomas Henry)  (61)

Você existe? Eu ainda tenho dúvidas!

No meu entender, só considero que uma pessoa existe desde que ela tenha cérebro e seja criativa. O cérebro ativado pelo espírito criativo tem a função de raciocinar sobre algo que já existe e visualizar os erros e acertos; seu principal objetivo é aprimorar de alguma forma, a situação na qual estamos inseridos.

Se você, querido leitor, é conformado com o que está acontecendo no mundo, e não faz “nada” para melhorar, eu começo a duvidar se você existe mesmo; a menos que você consiga me provar o contrário!!!…  Talvez sua atitude está sendo como a de um computador, que só funciona a partir do momento que alguém der um comando, para que algo seja produzido.

“Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo.” (82)

“Se você não descobrir e desafiar suas próprias convenções, novos competidores  farão isso por você.” (Gary Hammel, estrategista empresarial). (4)

‘Mas não existe outra alternativa: “Se você não é parte do rolo compressor, é parte da estrada”.  (Anônimo)  (4)

As pessoas que apenas absorvem o conhecimento em si, e não o processam com o objetivo de construir algo que seja acima daquilo que recebeu, são apenas computadores que são manipulados por seus superiores.  São fatalistas e crêem que “tudo está escrito” e, portanto, nada poderá ser mudado.  Leia as seguintes passagens bíblicas e você compreenderá melhor, como está em suas mãos mudar o rumo de sua vida: (1: Ex. 32: 7-14 e 30 a 34; Dt. 30:11-20;  Pv. 6:6-19, 19:19-20, 20:4 e 24:10; Ap. 3:20-21)

Pensamentos são informações importantes

“Para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos, é preciso pensar.” (82)

Cada pensamento é uma informação e todos eles são de certa forma preciosos.  Quantas informações preciosíssimas já se perderam pelos labirintos de meu cérebro; apesar de lamentar, não consigo recuperá-las, apenas pude aprender uma lição: não perder mais as informações que receberei daqui por diante.

Se algum dia, você tiver a oportunidade de visualizar alguém, fazendo anotações em algum lugar que possa lhe parecer absurdo ou bizarro, como no meio da rua, na farmácia, no supermercado, num restaurante ou em algum shopping, saiba que essa pessoa está na mesma condição que eu; depois de perder tantas informações, já não mais se importa com o que os outros pensam dela.

Você já salvou seus pensamentos?

Qualquer lugar é lugar para escrever, ou melhor “salvar” informações, antes que algum “vírus” do cotidiano as destrua.

“As pessoas não existem senão para os outros, não se conhecem senão pelos outros, não se encontram senão pelos outros.”  (50)

Você é realmente cristão e religioso como diz ser? Você acredita na Bíblia Sagrada e faz o que ela manda?  Então por quê está aí, parado como um espectador, admirando a vida passar?… Faça alguma coisa!!!…

“O homem fechado é uma pérola, mas na concha; é ouro, mas na mina; é sol, mas no eclipse de seu egoísmo. O homem aberto é manancial que jorra; é flor que aromatiza; é dínamo que move o mundo dos corações.”  (50)

Você já encontrou uma asa-delta perfeita?

Os grandes sábios e grandes filósofos deste mundo tentaram planar acima do conhecimento, como se fossem verdadeiros asa-deltas; depois de tantos erros e desacertos, entenderam que nunca chegariam a sê-lo, mas poderiam utilizá-la para que pudessem planar sobre as asas do vento e sentir o doce prazer de voar.

Eu ouso a afirmar que a Bíblia Sagrada (1) é a verdadeira asa-delta que Deus nos deixou, para que pudéssemos voar acima de todo conhecimento já existente, e alcançarmos posições cada vez mais elevadas…..

Assim como sem uma asa-delta, não conseguimos voar, se não utilizarmos a Bíblia Sagrada como livro base, para buscarmos respostas para nossas inquietações, estaremos procedendo como um deficiente visual, que anda tateando (1: At. 17:27), para não tropeçar e acabar se machucando.

Você já tem bússola para navegar no mar do conhecimento?

Ninguém fará um equipamento funcionar, baseado num manual elaborado por um concorrente daquele fabricante.  Da mesma forma, Deus nos deixou um manual de instruções, para que pudéssemos nos orientar por ele, A Bíblia Sagrada. (1)

“Não há vento a favor, quando não se sabe para onde vai.”  (Sêneca)  (63)

A Bíblia Sagrada é como um verdadeiro GPS, que é um equipamento de navegação já disponível também para os automóveis brasileiros. Ele funciona através de um comando de voz e é fácil de operar.

“O usuário fornece o endereço de destino, informando a cidade, a rua e o número. Aguarda alguns segundos, e pronto: ele traça o caminho, calcula a distância e até o tempo estimado, sem considerar o trânsito. A partir daí é só seguir as instruções em português e em voz masculina. O equipamento indica se o motorista deve permanecer à esquerda ou à direita em uma via, e avisa com antecedência (500 m, 200 m e ao chegar bem próximo) quando se deve virar em outra rua.  Se o comando não for obedecido, ele recalcula a rota e indica um novo caminho.” (51)

A Bíblia Sagrada contém um exemplo que ilustra bem essa questão do GPS: quando Moisés enviou doze espias para conhecerem a tal Terra prometida por Deus a Israel, eles levaram apenas quarenta dias; nos questionamos então, porque o povo peregrinou no deserto, por quarenta anos, para fazer a mesma trajetória?! (1: Nm. 14:34).

Creio que se o povo de Israel, tivesse obedecido às instruções que Deus lhes havia dado através de Moisés, utilizando-as como uma bússola, ou seja, como um verdadeiro GPS, a trajetória deles não teria sido “recalculada” como aconteceu.  Deus “recalculou” a trajetória determinando um ano de prorrogação para cada dia gasto pelos espias; foi por isso que levaram quarenta anos para chegar efetivamente na Terra prometida. (1: Nm. 14:34).

“Sem a orientação dos livros, na melhor das hipóteses, você pode apenas fazer conjecturas. Sem elas, você será como um navio em alto-mar sem mapas e sem bússola; é possível que chegue a algum lugar, mas você não tem uma direção a seguir.”  (40)

Ainda que todos os cientistas, filósofos e sábios deste mundo busquem conhecimento, não podem relegar a segundo plano, o conteúdo da Bíblia Sagrada.

Começando pela praia

Interessante que, pelo pouco que tenho lido, a respeito dos homens que se destacaram através da história da humanidade, me parece que sempre procuraram outros caminhos, que não A Bíblia, para tentar explicar a origem da vida. No final de suas vidas acabavam sempre reconhecendo, que Deus continuava, e ainda continua, acima de qualquer conhecimento já alcançado até então.

Em outras palavras, podemos dizer que todos eles praticavam o já conhecido provérbio popular: “nadavam, nadavam e sempre acabavam morrendo na praia”.  Por quê então, não começar a nadar a partir da praia? Não seria mais sensato e mais coerente?!!…

Se o homem que estiver predisposto a adquirir conhecimento, for coerente e leal consigo mesmo, começará a partir da praia e irá absorvendo e assimilando, gradativamente, os conhecimentos que lhe forem sendo disponibilizados pelo próprio Deus; essa coerência tem base bíblica…. (1: Ez. 47:2-12).

“Filho meu, não se apartem estas coisas dos teus olhos; guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso; porque serão vida para a tua alma, e graça para o teu pescoço. Então andarás com confiança no teu caminho, e não tropeçará o teu pé. Quando te deitares, não temerás; sim, tu te deitarás e o teu sono será suave”. (1: Pv. 3:21-24) “O temor do Senhor é o princípio da ciência; os loucos  desprezam  a sabedoria e a instrução” (1: Pv. 1:7). “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e a ciência do Santo a prudência”. (1: Pv. 9:10)

Palavras de Paulo aos cristãos

Oro constantemente por todos vocês, pedindo que Deus, o glorioso Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, lhes dê sabedoria para que vejam claramente e realmente compreendam quem é Cristo e tudo o que Ele fez por vocês.

‘Oro para que seus corações sejam iluminados de luz, a fim de que vocês possam ver alguma coisa do futuro que Ele os chamou a partilhar.  Quero que vocês compreendam que Deus enriqueceu por nós, que somos de Cristo e fomos dados a Ele! 

‘Oro para que vocês comecem a compreender como é incrivelmente grande o seu poder para ajudar aqueles que crêem nEle.  Foi esse mesmo grandioso poder, que levantou a Cristo dentre os mortos e O fez sentar-Se no lugar de honra no céu, à mão direita de Deus, muitíssimo acima de qualquer outro rei, governador, ditador ou líder. 

‘Sim, sua honra é muito mais gloriosa do que a de qualquer um outro, seja neste mundo, seja no mundo futuro.  E Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e O fez o Cabeça da Igreja – que é o seu corpo, repleto dEle mesmo, que é o Autor e Doador de todas as coisas em toda parte”. (58: Ef. 1:16-23)

‘Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (1: Rm. 2:12) (grifo nosso)

‘Porque quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.  (1: I Co. 2:16)

‘Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.  (1: Cl. 3:2-3) (grifo nosso)

‘Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus, para destruição das fortalezas; destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo (1: II Co. 10:4-5)”.  (grifo nosso)

Com base nestes textos bíblicos reconheço que, por mim mesma, não chegarei a lugar algum se não me submeter à autoridade Divina, concernente ao pleno conhecimento; portanto prefiro ficar com a Mente de Cristo, isto é, deixar que Ele pense por mim raciocinando sempre à luz da Sua Palavra.  Somente dessa forma me sentirei em paz comigo mesma e também com Deus.

Pensando em Jesus

Nas horas que passo pensando em Jesus

As trevas desfaço, buscando a luz;

Que horas de vida, tão doces p’ra mim,

Jesus me convida, que eu suba p’ra Si!

Da vida voando, sem nenhum temor;

Acima buscando do véu o amor;

Que doce ventura, que aspecto feliz,

Que nova natura, minh’alma bendiz.

Do mar o bramido, da brisa o langor

Da ave o carpido de doce amor,

Me falam sentidos acordes dos céus,

Me trazem aos ouvidos os hinos de Deus!

Minh’alma ansiosa já quer percorrer

A senda gloriosa que eu hei de ver;

Que coisa tão bela: oh! Que luz sem véu!

Jesus me revela mistérios do céu.  Anônimo (Harpa Cristã nº 17)

 

Continue lendo o capítulo 12: Você Pode Construir Sozinho

 

Sonia Valerio da Costa

19/11/2009

Bibliografia, Meu livro

1)             BÍBLIA Sagrada: contendo o Antigo e o Novo Testamento. Ed. Revista e corrigida na grafia simplificada, 87ª impressão. João Ferreira de Almeida, trad.  Rio de Janeiro : IBB; São Paulo : Vida, 1997.  1587 p.  (Contém: mapas; Concordância bíblica abreviada; Conciso dicionário bíblico)

2)             GASPARI, Elio.  Feliz o analfabeto que não lê este artigo.  In: Folha de São Paulo.  São Paulo, 24/set./2003, p. A5.

3)             SOALHEIRO, Bárbara.  Amor no laboratório.  In: Revista Superinteressante, São Paulo, 193, out./2003.  p. 86-91.

4)             1001 frases : as tiradas mais divertidas, invocadas, inteligentes e provocantes do mundo da tecnologia e da vida moderna.  Sandra Carvalho, ed.  São Paulo : Abril, 2003.  200 p.

5)             CURY, Augusto.  Análise da inteligência de Cristo : o Mestre dos mestres.  19. ed.  São Paulo : Academia de Inteligência, 1999.  227 p.

6)             NIETZCHE, Friedrich.  Além do bem e do mal : prelúdio a uma filosofia do futuro.  2. ed.  São Paulo : Companhia das Letras, 2000.  271 p.

7)             Anônimo.  A Epopéia de Gilgamesh.  2. ed. Tradução de Carlos Daudt de Oliveira.  São Paulo : Martins Fontes, 2001.  182 p.

8)             Revista ciência Hoje.  São Paulo, 33: 197, set./2003.

9)             MURRAY, Roseana.  Fruta no ponto.  São Paulo : FTD, 1986.  55 p.

10)         MURRAY, Roseana. Casas.  Belo Horizonte :   Formato Editorial, 1994.  23 p.

11)         PAES, José Paulo. Ri melhor quem ri primeiro : poemas para crianças (e adultos inteligentes).  São Paulo : Companhia das Letrinhas, 1998.  71 p.

12)         FOLHA de São Paulo.  São Paulo, 23/nov./2003, p. C8.

13)         FOLHA de São Paulo. São Paulo, 27/nov./2003, p. A19.

14)         O ESTADO de São Paulo. São Paulo,22/nov./2003,  p. C6.

15)         CONSELHO Regional de Biblioteconomia, 8ª   região. Bibliotecário : conheça sua Legislação.  São Paulo :  CRB/8, 1996.  76 p.

16)         NEE, Watchman.  O poder latente da alma.  Tradução de Delney O. Meireles, da versão inglesa do original em chinês.  Belo Horizonte : Parousia, 1988.  52 p.

17)         GRAY, Alice, org. Histórias para aquecer o coração : mais de 100 histórias que tocam o coração.  Tradução de Maria Emília de    Oliveira.  Campinas : United Press, 2001.  268 p.

18)         GRAY, Alice, org.  Histórias para aquecer o coração, 2 : uma nova coletânea com mais de 100      histórias que tocam seu coração. Tradução de  Maria  Emília de Oliveira. Campinas : United Press, 2002.   296 p.

19)         ZILBERMAN, Regina.  Fim do livro, fim dos leitores?  São Paulo : SENAC, 2001.  131 p.

20)         HANEGRAAFF, Hank.  A oração de Jesus : segredos para uma comunhão íntima com Deus.  Tradução de Emirson Justino.  Rio de Janeiro : CPAD, 2002.  102 p.

21)         ALMEIDA, Sérgio.  Ah! Eu não acredito! : como       cativar o cliente através de um fantástico atendimento.  Salvador : Casa da Qualidade, 2001. 143 p.

22)         CARLSON, Richard e SHIELD, Benjamin.  Os caminhos do coração.  2. ed.  Rio de Janeiro : Sextante, 2000.  192 p.

23)         DAMATTA, Roberto.  Por que morremos?.  In: O Estado de São Paulo : Caderno 2.  São Paulo, 09/Out./2003, p. D12.

24)         MORAIS, Jomar.  É só respirar.  In: Revista Superinteressante, São Paulo, 193, Out./2003.  p. 56-65.

25)         ENCICLOPÉDIA Ilustrada do Conhecimento Essencial.  Rio de Janeiro : Reader’s Digest Brasil         Ltda., 1998.  605 p.

26)         VOCÊ sabia? : uma nova forma de ver o mundo espantoso e fascinante em que vivemos.  Rio de Janeiro : Reader’s Digest Brasil Ltda., 1999. 384 p.

27)         COHEN, Alan.  Quem é mais feliz : você ou seu cachorro? : técnicas garantidas para acordar sempre alegre como ele. Tradução Marcelo Brandão Cipolla.  São Paulo : Pensamento, 2003.  93 p.

28)         DOWLEY, Tim, Dr. Pequeno Atlas bíblico.  São Paulo : Mundo Cristão, 1992. 30 mapas.

29)         DAVIS, John D.  Dicionário da Bíblia.  16. ed. Tradução do Ver. J. R. Carvalho Braga.  Rio de Janeiro : JUERP, 1990.  660 p.

30)         FREIRE, Paulo.  A importância do ato de ler : em três artigos que se completam.  42. ed.  São Paulo : Cortez, 2002.  87 p.

31)         GILMER, Thomas L.; JACOBS, Jon; VILELA, Milton.  Concordância bíblica exaustiva.  São Paulo : Vida, 1999.  1510 p.

32)         HOUAIS, Antonio; VILLAR, Mauro de Salles; FRANCO, Francisco Manoel de Mello.  Dicionário Houais da língua portuguesa.  Rio de Janeiro : Objetiva, 2001.  2922 p.

33)         VANZANT, Iyanla.  Enquanto o amor não vem : em busca de si e do amor que se deseja.  8. ed. Tradução de Fabiana Colassanti.  Rio de Janeiro :  Sextante, 1999.  272 p.

34)         CURY, Augusto.  Dez leis para ser feliz : ferramentas para se apaixonar pela vida. Rio de Janeiro : Sextante, 2003.  121 p.

35)         NOWILL, Dorina de Gouvêa.  Para quem quer ver além.  São Paulo : Original, 2002.  155 p.

36)         HOMEM mudou dieta para carne em uma geração. In: O Estado de São Paulo. São Paulo, 25/Set./2003,  p. A23.

37)         HAYNES, Gary.  O poder da língua.  3. ed. Belo Horizonte : Atos, 2003.  90 p.

38)         Retrospectiva 2003. (Globo Repórter de 26/12/2003).

39)         MIRANDA, Simão de.  Oficina de dinâmica de grupos : para empresas, escolas e grupos comunitários.  Campinas : Papirus, 2001.  2. v.

40)         BICKEL, Bruce.  Deus está nas pequenas coisas : e todas são importantes.  Tradução de Magali Fraga Moreira. Campinas : United Press, 2000.  249 p.

41)         BETTELHEIM, Bruno.  A psicanálise dos contos      de fadas.  16. ed.  Tradução de Arlene Caetano.  Rio de Janeiro : Paz e Terra, 2002.  366 p.

42)         HEALD, Cynthia.  A jornada de uma mulher ao coração de Deus.  Tradução de Elaine Carneiro de Sant’Anna.  São Paulo : Candeia, 1999.  317 p.

43)         DE MAIS, Domenico.  O ócio criativo.  4. ed. Entrevista a Maria Serena Palieri. Rio de Janeiro : Sextante, 2000.  336 p.

44)         LOPES, Reinaldo José.  Estudo dá 9000 anos a línguas européias.  In: Folha de São Paulo, São Paulo, 27/nov./2003.  p. A19.

45)         A BÍBLIA Sagrada.  Tradução na linguagem de hoje.  4. ed.  São Paulo : SBB, 1988.  447 p.

46)         ALVES, Rubem.  Sobre a morte e o morrer.  In: Folha de São Paulo, São Paulo, 12/Out./2003.  p. A3.

47)         ARCHER, Gleason L. Enciclopédia de dificuldades bíblicas.  São Paulo : Vida, 1997.  479 p.

48)         MAXWELL, John C.  O valor de uma amizade.  Tradução de Luiz Frazão Filho. Campinas : United Press, 2003. 131 p.

49)         DE MAIS, Domenico.  Criatividade : e grupos criativos.  São Paulo : Sextante, 2003.

50)         ENRÍQUEZ, Tomás.  Ser mais : estudos sociais I. 2. ed. São Paulo : Loyola, 1975. 124 p.

51)         OSÓRIO, Sueli.   Sistemas ajudam motorista no trânsito.  In:  O Estado de São Paulo,  São Paulo, 05/Out./2003.  p. 9. (Caderno 1)

52)         SCAVOLINI, Francesco.  Família e identidade brasileiras.  In: Folha de São Paulo, São Paulo, 17/Out./2003.  p. A3.

53)         FREITAS, Jillian.  Em NY, leitura teen não é muito        diferente. In: Folha de São Paulo, São Paulo, 17/Nov./2003.  p. 5 (Folhateen)

54)         CHAVES, Mauro.  O digno trabalho da dona de casa.  In: O Estado de São Paulo, São Paulo, 04/Out./2003.  p. A2.

55)         WILLER, Cláudio.  Para que UBE?  In:  Jornal da UBE : o Escritor, São Paulo, UBE, n. 104, Ago./2003.  p.3.

56)         PRATA, Mário.  O planeta das baratas.  In: O Estado de São Paulo, São Paulo, 19/Nov./2003.  p. D10.

57)         LAGNI, Daniel.  A igreja e as missões do século           21.  In: Folha de São Paulo, São Paulo, 10/Out./2003. p. A3.

58)         A BÍBLIA Viva.  9. ed. São Paulo : Mundo  Cristão, 1996.  313 p.

59)         BÍBLIA de estudo esperança.  São Paulo : SBB; Vida Nova, 2000.  1024 p.

60)         WALTON, John H.  Quadros cronológicos do Velho Testamento. Prefácio de Merrill C. Tenney.  São Paulo : IBR, 1991.  80 p.

61)         ANGELONI, Maria Terezinha, coord.  Organizações do conhecimento : infra-estrutura, pessoas e tecnologias. São Paulo : Saraiva, 2002.  215 p.

62)         BARBOSA, José Juvêncio. Alfabetização e leitura.   2. ed. rev.  São Paulo : Cortez, 1994.  159 p.

63)         CARVALHO, Gilda Maria Rocha de & TAVARES,    Márcia da Silva.   Informação            & conhecimento : uma abordagem organizacional. Rio de Janeiro : Qualitymark, 2001.  127 p.

64)         BLIKSTEIN, Izidoro.  Técnicas de comunicação escrita.  20. ed.  São Paulo : Ática, 2002. 95 p.

65)         CRAMER, Eugene H. & CASTLE, Marrietta, orgs.      Incentivando o amor pela leitura.  Tradução de Maria Cristina Monteiro. Porto Alegre : Artmed,  2001.  299 p.

66)         REPÓRTER viola segurança do palácio.  In: Folha       de São Paulo, São Paulo, 20/Nov./2003.  p. A15

67)         ELWELL, Walter A., ed. Manual bíblico do estudante : um guia para o melhor livro do mundo.  Rio de Janeiro : CPAD, 1997.  352 p.

68)         BONASSI, Fernando.  Porque matamos nossos pais.  In: Folha de São Paulo, São Paulo, 16/Dez./2003.  p. E.8.

69)         PORTELLA, Eduardo. Entre ciências e humanidades. In: Folha de São Paulo, São Paulo, 16/Dez./2003.  p. A3.

70)         LEWENKOPF, Caio.  Erros, fraudes e acertos.  In: Ciência Hoje, 32: 192, Abr./2003.  p. 40-41.

71)         GAUSMANN, Evelise & LUMINENT, Jean-Pierre. Universo: uma miragem topológica?        In: Ciência Hoje, 33: 194, Jun./2003.  p. 32-40.

72)         JAKES, T. D.  A dama, seu amado e seu Senhor : as três dimensões do amor feminino.  Traduzido por Neyd Siqueira.  7. ed.  São Paulo : Mundo Cristão, 2003. 246 p.

73)         NEE, Watchman.  Oremos.  São Paulo : Vida, 2001.  107 p.

74)         ASSIS, Jesus de Paula.  Dialética da fraude.  In:

Ciência Hoje, 31: 192, Abr./2003, p.32-39.

75)         BÍBLIA de estudo : aplicação pessoal ; versão Almeida revista e corrigida.  Rio de Janeiro : CPAD, 2003.  2012 p. (Contém mapas e diagramas bíblicos em cores)

76)         PRADO, Heloísa de Almeida.  Organização e administração de bibliotecas.  2. ed. rev.  São Paulo : T. A. Queiroz, 1992.  209 p.

77)         NOGUEIRA, Salvador. SpaceShipOne alcança limite do espaço.  In: Folha de São Paulo, Caderno “Ciência”, São Paulo, 22/Jun./2004.  p. A12.

78)         PILOTO de nave privada teve medo de morrer.  In: Folha de São Paulo, Caderno “Ciência”, São Paulo, 24/Jun./2004.  p. A17.

79)         A BÍBLIA anotada.  Versão Almeida, ver. E atual.  São Paulo : Mundo Cristão, 1991.  1835 p.  (Contém mapas bíblicos em cores)

80)         CASTLE, Stephen.  Menção a cristianismo em Carta racha UE.  In: Folha de São Paulo, São Paulo, 25/Maio/2004. p. A12.

81)         ELDREDGE, John.  Coração selvagem : descobrindo os segredos da alma do homem.  Trad. de Degmar Ribas.  Rio de Janeiro : CPAD, 2004.  200 p.

82)         LUFT, Lya. Pensar é transgredir.  6. ed.  Rio de Janeiro : Record, 2004.  185 p.

83)         JEREMIAH, David. Derrotando os gigantes de sua vida.  São Paulo : Vida, 2003.  282 p.

84)         BARRETO, Heleny Uccello Gama M. Uma dieta para a alma. São Paulo : Abba Press, 2008. 86 p.

85)         NOVO Testamento King James; edição de estudo. Tradução e revisão Comitê Internacional e permanente da tradução e revisão da Bíblia King James Atualizada (KJA). São Paulo : Abba Press, 2007. 639 p.

86)         MAGALHÃES FILHO, Glauco Barreira. Lições das crônicas de Nárnia. São Paulo : Abba Press, 2008. 109 p.

87)         COMPUTADOR com programa ‘telepata’ lê palavra na mente. In: Folha de São Paulo, São Paulo, 01/jun/2008. p. A25.

88)         ESCOBAR, Herton. Via-Láctea é uma espiral com dois braços, diz estudo. In: Estado de São Paulo, São Paulo, 19/jun/2008. p. A26

 

Conheça melhor a Autora